Na cola da bandidagem: Senad e policiais de MS fazem ‘arrastão’ na Fronteira

0

Duas operações em Zanja Pytã e três em Sanja Puitã (Paraguai) foram realizadas na manhã desta quarta-feira (14) por agentes da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai e das Polícias, Civil, Militar e Federal Brasileira, em busca do homicídio ocorrido há dias em Ponta Porã -MS, onde a vítima era o policial civil Wescley Vasconcelos. No local, encontraram várias evidências que serão submetidas à perícia.

O representante do Ministério Público do Paraguai, Armando Cantero, um dos procuradores nomeados em conjunto com Martin Areco, disse que as operações no Paraguai e no lado brasileiro são a continuação do homicídio ocorrido no dia 6 de março no bairro Villa Reno de Ponta Porã onde Wescley Vasconcelos foi vítima de uma execução.

Naquele dia, o agente foi morto a poucos metros de sua casa, após coletar as impressões digitais dos 6 supostos membros do PCC, presos depois uma operação policial em Pedro Juan Caballero.

Na primeira casa pesquisada pela SENAD pertencente a Michel Antunes Pintos de nacionalidade brasileira, duas pistolas de calibre 9mm foram apreendidas e registradas. Na segunda casa pertencente ao Sr. Cesar Ortiz Zorrilla foi apreendida uma espingarda cal 12, bem como um caminhão Fortuner com o chassi adulterado.

 

Todas as provas apreendidas foram encaminhadas para a sede da SENAD, nenhuma pessoa foi detida.

 

Força-tarefa

 

As polícias Especializadas de Mato Grosso do Sul, Garras (Del. Esp. Rep. a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), Denar (Del. Especializada de Repressão ao Narcotráfico) , Derf (Del. Especializada de Roubos e Furtos) Defron (Del. de Repressão aos Crimes de Fronteira), Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), GOI (Grupo de Operações e Investigações), Polícia Federal e Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai deram início na madrugada desta quarta-feira (14) numa mega operação onde o objetivo é combater o narcotráfico de drogas/armas e capturar os responsáveis pela execução de um policial brasileiro.

 

A ação em conjunto entre forças policiais brasileiras e paraguaias aconteceu na região de Ponta Porã, Sanga Puitã (Brasil) e Sanja Pitã (Paraguai) contou grande efetivo policial e até mesmo um helicóptero do GPA – Grupo Patrulhamento Aéreo da PMMS.

 

O estopim para essa força-tarefa, se deve ao fato do assassinato de Wescley Vasconcelos, investigador da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, e também após ameaças de morte que os agentes sofreram em consequência da ação policial, que culminou com a morte de um suspeito. Informações extraoficiais afirmam que, diversas pessoas foram presas, dentre eles um policial militar da reserva, assim como grande quantidade de armas também foram apreendidas.

Deixe uma resposta