Ao buscar emprego em shopping da Capital, jovem é humilhada pela cor do cabelo

0

A jovem Letícia Millerh relatou situação de constrangimento e humilhação que sofreu da gerente de uma loja de moda feminina, instalada em um shopping de Campo Grande. Em publicação realizada no Facebook, a jovem conta que foi em busca de uma vaga de emprego, mas o cabelo teria chamado mais atenção que a experiência que tinha para dedicar ao trabalho. 

“Ela em nenhum momento focou no meu currículo, apenas em um detalhe, meu cabelo. Ela me disse as seguintes coisas: o que você quis passar com seu cabelo? Eu não entendi essa cor, esse tom dele, você pode me dizer? Eu na hora segurei o choro sabe, e disse: então eu to desempregada né? Não tem como eu pintar ele, mas eu sou ruiva e sorri. Mas ela não parou ela ainda disse: tem certeza que vai continuar com essa cor? Você pretende ser ruiva ainda? E ainda me mostrou a foto de uma das funcionárias na intenção de dizer; esse é o cabelo ideia. Disse que na loja não tem como ter cabelo sem retoque os clientes sempre reparado nisso, eu estava sem fazer a sobrancelha né?! Aí ela disse isso também indiretamente”, diz trecho do desabafo postado na página “Aonde não ir em Campo Grande-MS”. 

A jovem também relata que, diante da ofensa, ela mesma desprezou a vaga. “Eu simplesmente engoli o choro e resolvi ser uma coisa que ela não foi, eu fui educada, disse que não queria mais a vaga, que não gostei do que ela disse, que sou uma ótima atendente e que não é meu cabelo que me define, e que quando eu posso eu pinto e até acham que sou ruiva natural. Então eu não ia trabalhar em um ambiente que me trate assim, agradeci a oportunidade e a entrevista e desejei um ótimo sábado e uma boa tarde e sai chorando rsrsrs”. 

Ao final, a jovem  enfatiza a importância da gentileza e educação. “As empresas precisam entender que nós às vezes não temos passe, dinheiro para imprimir o currículo, então o mínimo é ter educação. Não importa se é loja de moda, beleza, o que for acho que educação não machuca, não queria me ter na loja usa a desculpa: qualquer coisa te ligo. Nada justifica o preconceito e humilhar alguém! E foi assim que eu fui, e é assim meu cabelo”.

A reclamação foi feita no Direct do Instagram da loja. Em resposta, o estabelecimento lamentou o ocorrido e disse que prestará todo o acolhimento necessário à jovem que se candidatava à vaga de emprego. Ainda, que a conduta da funcionária foi “totalmente inadequada e que não compactuam com a situação”. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui