Apreensão de 14,5 toneladas de maconha leva polícia à rede de grandes traficantes 

0

Apreensão de 14,5 toneladas de maconha em solo sul-mato-grossense, em meados de 2020, levou a polícia à rede de grandes traficantes, que eram responsáveis pelo envio de carregamentos de entorpecentes a partir da região fronteiriça Brasil e Paraguai para diversos Estados do país. Segundo a polícia, os criminosos também cuidavam da logística do transporte e utilizavam caminhões carregados com grãos para ocultar a droga.

Para desmantelar a organização, a Polícia Federal com o apoio da Força Nacional de Segurança Pública, deflagram nesta manhã de sexta-feira (29) a operação “Pé na Estrada”. Estão sendo cumpridos quatro mandados de Busca e Apreensão e três de Prisão Temporária nas cidades de Ponta Porã e Dourados/MS, expedidos pela Justiça Federal em Ponta Porã. Participam da operação cerca de 24 policiais.

O nome da operação faz referência ao grupo de mensagens em aplicativo que a organização utilizava para trocar informações entre os “batedores” de estrada, termo utilizado para designar pessoas que comunicam a existência de barreiras policiais.

No contexto da ação policial desta manhã, durante as buscas em um dos endereços foi encontrado um veículo com compartimento oculto para transporte de drogas em preparação, vulgarmente conhecido como “mocó”. Além disso, ocorreram duas prisões em flagrante por posse irregular de arma de fogo e munições. Também foram apreendidos 4 mil reais em espécie e dois veículos de alto valor aquisitivo.

A Polícia Federal reforça que a atual pandemia não afetou as investigações e ações da instituição, principalmente na repressão aos crimes de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro nas regiões de fronteira. Em razão da situação de pandemia da Covid-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio,  com  distribuição  de  EPIs  a  todos  os  envolvidos  na  missão,  a  fim  de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui