Estabelecimentos permitem aglomerações na Capital e 17 acabam lacrados pela polícia 

0

Fiscalização visitou 700 estabelecimentos comerciais durante o fim de semana em Campo Grande e interditou 17 deles por descumprimento às normas de biossegurança para evitar o contágio da Covid-19. 

A força-tarefa foi realizada entre a Vigilância Sanitária Municipal (VISA), Guarda Civil Metropolitana (GCM), Semadur , Agetran, Procon e Polícia Militar (PM), em atendimento ao decreto municipal nº 14.763, de 14 de junho de 2021. Agentes percorreram as sete regiões da cidade fiscalizando bares, restaurantes, conveniências e festas clandestinas.

De acordo com o balanço de sexta (18) a domingo (20),  foram 709 estabelecimentos fiscalizados, 34 denúncias atendidas, 83 abordagens, 17 autos de infração e 17 interdições. A maioria por aglomeração, falta de distanciamento entre as mesas e falta de uso de máscaras.

Dois estabelecimentos, um localizado no Itanhangá e o outro no Tiradentes, tiveram que ser reinterditados por romper o lacre de interdição fixado em data anterior.

Conforme o decreto, a interdição cautelar é de três dias e em caso de reincidência o período de vigência é de sete dias, podendo o estabelecimento ter o alvará de funcionamento cassado caso ocorra uma terceira infração.

Os fiscais se dividiram em grupos e contaram com drones para auxiliar a Guarda Municipal na busca por festas clandestinas. Equipes da Agetran realizaram blitz especificamente para combater a combinação álcool e direção, que causa acidente e contribui para superlotação de leitos.

O trabalho intensivo de fiscalização teve início na última quinta-feira, dia 17, e deve seguir até o dia 30 de junho, data de vigência do decreto.

Deixe uma resposta