De boa e tomando suco, “Tio Trutis” nega prisão e faz vídeo exibindo liberdade em casa; assista

0

O Deputado Federal Loester Carlos, Tio Trutis, divulgou vídeo em sua página do Facebook nesta manhã de sexta-feira (13), em que aparece negando a prisão e se exibindo em casa “tomando suco de laranja”. Ontem, o parlamentar protagonizou operação da Polícia Federal que visava esclarecer o suposto atentado a tiros que ele sofreu em fevereiro deste ano, mas, que na verdade, as investigações apontaram para uma farsa encomendada por ele mesmo. 

Entre os 10 mandados de busca e apreensão, um foi cumprido na casa de Trutis. Onde foi encontrada arma que seria de uso restrito. Por esta razão, o Deputado Federal foi preso em flagrante e levado para Polícia Federal. À noite, foi liberado. O motivo da soltura não foi divulgado pelas autoridades policiais.

“Meu mandato será cassado e eu serei transferido para um presídio a mando da Polícia Federal”. É com estas palavras que Loester inicia a gravação. Em seguida emenda: “será pessoal? Ou será mais uma fake news dessa mídia de Campo Grande e de quase todo o Mato Grosso do Sul? Eu sou Loester Trutis e como podem ver estou aqui na minha casa, muito confortavelmente instalado, tomando o meu café da manhã, um suquinho de laranja, mas segundo a mídia de Campo Grande, estou preso”. 

Segundo ele, a PF foi até o imóvel onde reside em busca de uma arma ilegal que teria sido objeto de denúncia. Ele confessa que foram encontradas “várias armas” no local porque é presidente da frente parlamentar armamentista e presidente do Instituto Brasileiro da Cultura Armamentista. “Queriam que achassem o que na minha casa? Piroca de borracha igual ao dos maconheiros da esquerda?”, questiona. 

Trutis também defende que todas as armas e munições estão devidamente documentadas “como manda a lei”. 

Ao justificar a ida até a PF, diz que foi levado para esclarecimentos. “Houve uma divergência que umas das armas é o que a grande população conhece como fuzil AR15 e dentro da legislação existem armas permitidas, restritas e proibidas. A Polícia Federal naquele momento identificou esse AR15 como arma proibida”, alega. 

Ele diz que houve “falta de comunicação entre as Forças de Segurança e de uma legislação clara”, culpando legisladores por promover portarias e decretos confusos. No post ele também publicou o despacho da PF. Confira aqui.

Assista a íntegra do vídeo: 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui