Homem grava relação sexual e exige dinheiro de mulher para não divulgar vídeos

0

Homem de 30 anos foi preso em Ivinhema, em flagrante, por ter extorquido uma jovem de 20 anos de idade para não divulgar vídeos íntimos gravados durante relação sexual. A prisão ocorreu no dia 8, mas somente nesta terça-feira (15), foi divulgada pela polícia. 

Incialmente, o homem teria entrado em contato com a jovem pelo whatsapp se passando por uma mulher. Ele usava o apelido “Monique” e dizia ser proprietário de uma agência de modelos. A vítima se interessou e para que uma avaliação profissional fosse feita indicou o seu endereço residencial. De acordo com a primeira versão da vítima, o “Avaliador” compareceu até a casa da jovem e, segundo ela, a estuprou e realizou uma filmagem do ato sexual.

Após, o “Avaliador” enviou o vídeo à vítima e passou a exigir dinheiro para que o vídeo não fosse divulgado. A vítima, desesperada, chegou a repassar a quantia de R$ 500 para o homem. Contudo, ainda assim o ele continuava a exigir dinheiro para que o vídeo não fosse divulgado. A vítima passou, então, a negociar a entrega do celular pessoal.

Somente neste momento a vítima procurou ajuda da Polícia e, na ocasião que o homem foi a Ivinhema pegar o telefone negociado como pagamento, foi preso em flagrante pelos policiais civis. Foi organizada uma operação para flagrá-lo. Vários policiais civis foram mobilizados, inclusive de outras cidades, para localizar e prender o homem.

Durante as investigações descobriu-se que “Monique” era apenas um apelido para abordar com mais facilidade mulheres e que, na verdade, o homem utilizava-se deste artifício para chegar as vítimas e fazer propostas de quantia em dinheiro a fim de praticar programas sexuais. 

O indivíduo chegava a oferecer a quantia de R$ 7 mil pelos programas sexuais, entretanto, após a consumação do ato, não pagava as vítimas e passava a extorqui-las para não divulgar os vídeos realizados durante a relação sexual. 

Na investigação foi levantada ainda a informação de que ele teria aplicado o mesmo golpe em mais uma jovem, na cidade de Campo Grande. Uma terceira jovem também teria sido abordada pela internet, mas não aceitou a proposta oferecida por ele.

Assim, os policiais descobriram que a jovem que o denunciou distorceu parcialmente os fatos relatados na Delegacia, quando falava que havia sido estuprada. Na verdade, “Monique” a abordou como se fosse dona realmente de uma agência de modelos, mas no desenvolvimento da conversa, deixou claro que se tratava de um programa sexual, aceito pela jovem, sendo que o “Avaliador” havia prometido o valor de R$ 7 mil pelo programa.

Neste caso, o homem foi preso em flagrante e responderá pelos crimes de Extorsão e Violação Sexual Mediante Fraude, cujas penas, se somadas poderão chegar a 16 anos de reclusão.

O Delegado explica que a extorsão restou configurada por ele ter exigido dinheiro para não divulgar o vídeo. A violação sexual mediante fraude acontece porque ele fez promessas falsas.

Com relação à jovem, que distorceu os fatos para omitir que havia realizado um programa sexual, o Delegado explica que ela também poderá responder criminalmente por imputar falsamente o crime de estupro ao autor dos fatos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui