Luto: aos 55 anos, fotojornalista do Correio do Estado perde batalha para a Covid-19

0

Morreu neste domingo (28), vítima da Covid-19, o fotojornalista Valdenir Rezende, de 55 anos. Ele estava internado no Hospital da Unimed, em Campo Grande, há 35 dias para tratar a doença, porém faleceu no início da tarde.

Profissional da área por décadas, Valdenir sempre foi uma referência no fotojornalismo sul-mato-grossense. Além disso, Rezende atuou como repórter-cinematográfico, o que demonstrou ser um profissional multifacetada, quando se tratava no quesito de captura de imagens.

A notícia da morte do grande jornalista, vem causando comoção nas redes sociais entre os colegas, pois Valdenir sempre foi um mestre para muitos colegas da sua profissão.

“Mais um grande amigo e profissional exemplar, levado por essa doença terrível. Vá em paz meu amigo Valdenir Rezende. Que Deus lhe receba em seus braços!”, comentou o jornalista Bosco Martins, diretor-presidente da TVE.

Além disso, ele é sempre retratado com uma figura doce e de bom trato e, por esse motivo, a perda se torna ainda mais dura para aqueles que conviveram ou conviviam com ele no dia-a-dia.

“Mais ou menos ali pelos anos 1980 um garoto de mais ou menos 13 anos começou a trabalhar como office boy com a Wilma. Ele via outros garotos um pouco mais velhos que ele passando o dia inteiro em busca das notícias. Logo já ficou amigo e de um modo especial aproximou daqueles outros meninos que carregavam uma máquina fotográfica. Não tardou e falou com o chefe de redação, o Antônio João que queria aprender a fotografar, revelar e copiar. Assim que foi atendido começou a se tornar um dos melhores fotógrafos com quem já trabalhei. Tanto nas vezes em que trabalhei no Correio do Estado quando participei com ele em coberturas, eu por ouros jornais, sempre que nos encontrávamos eram momentos de brincadeiras e manifestação de afeto. Me lembro uma vez que organizei uma exposição de fotografias de profissionais aqui de Campo Grande e pedi fotos dele e isso o deixou tão alegre que sempre era lembrado em nossos reencontros. Brincalhão, companheiro e um grande cara. Hoje partiu Valdenir Rezende que deixa entre seus amigos e familiares um vazio que não será preenchido”, contou o também jornalista Laureano Secundo.

Grande profissional que era, não se furtava em superar obstáculos para conseguir os melhores ângulos e as imagens mais difíceis e de momentos que retratassem a história na cobertura jornalística. Um exemplo disso é imagem abaixo, onde Valdenir precisou de um ombro para conseguir o registro ideal.

O Correio do Estado lamenta profundamente o falecimento do nosso colega e amigo de muitos anos. “Ele era uma pessoa muito especial para família Correio do Estado. Que me viu nascer. Uma perda sem tamanho para todos nós”, lamentou o diretor do jornal Marcos Rodrigues.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui