Marcelo Vargas aposenta com legado de conquistas para Polícia Civil de MS 

0

Foram cinco anos de muito trabalho, companheirismo com os colegas e grandes conquistas à frente da Delegacia-Geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul. Este é o legado deixado pelo Delegado Marcelo Vargas que nesta segunda-feira (22) teve a aposentadoria voluntária publicada pelo Governo do Estado.

Desde 2016, durante a gestão de Marcelo Vargas, houve a redução em mais de 80% no número de presos em Delegacias, possibilitando aos policiais maior dedicação às investigações. Além disso, todos os índices criminais foram reduzidos, entre eles homicídio 23%, roubo 55% e furto 26%. Outro dado importante se refere ao índice de esclarecimento de homicídios de quase 70% que coloca a Polícia Civil em MS como a melhor do Brasil.

“Agradeço a cada colega, cada profissional com quem tive a oportunidade de trabalhar durante esses 31 anos no cargo de Delegado de Polícia. E por isso minha gratidão também ao Governador Reinaldo Azambuja, cuja confiança no meu nome concedeu o imenso orgulho de dirigir e alçar a nossa querida Policia Civil ao topo nacional. Foram etapas de aprendizagem, de desafios, de crescimento pessoal”, reconhece.

Avanços 

Uma das maiores operações da história que desmantelou forte organização criminosa ligada ao jogo do bicho foi deflagrada na gestão do então delegado-geral Marcelo Vargas. A Omertà levou para a cadeia Jamil Name, apontado como chefe de todo o esquema.

Compõe a lista de avanços durante a atuação de Marcelo Vargas a criação do Grupo de Operações e Investigações (GOI) e a descentralização da Inteligência Policial, com a criação em cada regional dos Núcleos de Inteligência Policial (NIPs). “Também estimulamos a instalação dos SIGs-Setor de Investigação Geral em todas Delegacias do Estado, unidades estas que deram maior operacionalidade e contribuíram significativamente para os bons resultados atingidos”, destaca o delegado. 

O Departamento de Combate ao Crime Organizado e à Corrupção (DRACCO) que conta com estrutura, equipes independentes e desenvolve importante trabalho no enfrentamento às organizações criminosas também foi criado nesta gestão. Quase 80% das unidades policiais foram reformadas e revitalizadas. 318 novos policiais foram nomeados, dos quais 72 Delegados e está em fase final a formação de 243 investigadores e escrivães, com conclusão da academia prevista para o mês de março.

Aposentado, os planos agora são cuidar da saúde, família e das coisas particulares, com foco na qualidade de vida, segundo a autoridade policial. “Fizemos os enfrentamentos necessários à criminalidade em geral e principalmente às organizações criminosas. Prendemos ao longo destes cinco anos desde o ladrão de varal àqueles que se julgavam acima da Lei e da Justiça. Encerro esse ciclo da minha vida com a certeza do dever cumprido, que lutamos pelo bom combate e guardamos a fé. Penduro minhas algemas, mas não minha pistola. Esta continuará pronta e em condições”, avalia o ex-delegado-geral Marcelo Vargas.

Quem assumiu o lugar de Marcelo foi Adriano Garcia Geraldo. “ Parabenizo o primeiro na história a assumir em sucessão à direção, o Delegado Geral Adjunto Dr Adriano Garcia Geraldo, a quem desejo apenas três coisas: trabalho, trabalho e trabalho”. 

Currículo

Marcelo Vargas assumiu o cargo de Delegado de Polícia em 3 de julho de 1990. Durante sua trajetória atuou em diversas Delegacias entre elas 1ª DP, 5ª DP, Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Furtos e Roubos de Veículos – Defurv e Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestro – Garras.

Exerceu mandatos de presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Mato Grosso do Sul – Adepol/MS e Associação dos Delegados do Brasil – Adepol/BR.

Em 2016 foi designado para exercer a função de Delegado-Geral permanecendo até a data de hoje, após 31 anos e 28 dias de efetivo exercício policial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui