Morto na frente das filhas, policial era atuante em ações sociais e havia perdido a esposa para o câncer há cinco meses

0

Joel Benites da Silva, policial assassinado ontem (20), estava prestes a se aposentar e havia perdido sua mulher há cinco meses para um câncer. Além disso, tinha três filhos, dentre elas, uma menor de idade, que também presenciou a morte do pai.

Joel, passou mais de 10 anos no GARRAS (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e quase três anos no GOI (Grupo de Operações e Investigações). Além de exercer sua profissão com amor ao que fazia, também realizava atos de caridade. Participava de ações sociais em prol do coletivo e era uma pessoa muito querida por quem o conhecia.

 

O caso

Os autores do crime foram identificados como Matheus Fernandes Araújo (21) e Carlos Batista Lima (28). Matheus diz, em um vídeo à polícia, que Carlos era quem estava armado. Ambos já tinham passagem pela polícia. Matheus por tráfico, associação ao tráfico, receptação culposa e violência doméstica. Enquanto Carlos, roubo qualificado, sequestro, roubo majorado, evasão de local de custódia, furto qualificado e injúria.

Imagem de câmera de segurança registrando um dos criminosos fugindo.
A mesma câmera mostra o outro autor do crime, olhando para trás vendo se o parceiro o acompanha na fuga.

 

O Diretor-geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Delegado Marcelo Vargas Lopes, lamenta o ocorrido. “Muito triste, mais um Policial Civil morto, Joel Benites da Silva, grande amigo e parceiro, ingressamos no mesmo concurso na  Polícia Civil em 1990. Quis o destino que fôssemos lotados na mesma Delegacia e equipe no 1° DP de Campo Grande, cuja sede era na Rua 7 de setembro com 14 de julho, ali trabalhamos juntos por mais de 5 anos. Depois quando fui para o Garras ele me acompanhou, já tinha tempo para se aposentar, mas vivia polícia 24 horas por dia, atualmente estava no GOI, prestando excelente serviço a sociedade Sul-mato-grossense. Perdemos um grande Policial, que Deus o acolha não sua infinita misericórdia e console sua família”.

Responsáveis por tentativa de assalto que resultou na morte do policial Joel. À direita, Matheus Fernandes de Araújo e, à esquerda Carlos Batista Lima.

 

O velório do policial acontece às 8h30 no Cemitério Memorial Park, em Campo Grande. O sepultamento acontecerá no mesmo local, às 10h30 também da manhã desta sexta-feira. Policiais civis, amigos e familiares podem se dirigir direto ao cemitério para prestar homenagens ao colega.

Joel em frente ao carro da GOI, onde trabalhou por quase três anos.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui