Obras no polo empresarial Oeste ao Nova Campo Grande avançam

0

As obras de infraestrutura no Nova Campo Grande estão com três frentes de serviço de drenagem, duas delas nas vias que vão ligar o polo empresarial Oeste ao Nova Campo Grande,  região onde mora  boa parte dos 1.850  trabalhadores das 53 empresas em funcionamento no polo.

Equipes da empresa responsável pela obra estão abrindo  valetas de 4 metros de profundidade para  colocar tubos de 1,5 metro de diâmetro no prolongamento da Avenida 7 e na Avenida Sólon Padilha, paralela a Avenida Duque de Caxias. Esta tubulação será conectada com a Avenida 7 pela Avenida Annes Salim Saad, que passa em frente a um complexo industrial de cerveja e refrigerante. Serão 1,5 km de drenagem, sendo 950 metros de drenagem só na Avenida 7, onde a tubulação vai escoar a enxurrada até o Córrego Imbirussu. Neste ponto, será construída uma ponte de 40 metros para garantir a travessia para a outra margem na continuidade da Avenida 7, que corta o Jardim Carioca, Nova Campo Grande e termina no Serradinho.

A pavimentação destas ruas e a construção da  ponte no Córrego Imbirussu vai reduzir em seis quilômetros o percurso dos trabalhadores residentes  nesta região, que concentra mais de 20 mil moradores . “Não vejo a hora que esta obra fique pronta. O acesso vai encurtar o trajeto de ida e volta do trabalho”, relata o porteiro Marco Moraes, que mora na divisa do Nova Campo Grande com o Serradinho.

Como a travessia do Córrego Imbirussu só é possível a pé por uma passarela metálica, Marcos precisa dar a volta pela Avenida Duque de Caxias para chegar ao trabalho.

Realizado

Nos 45 dias de andamento das obras da primeira etapa de  pavimentação da Nova Campo Grande,  já foi feito 1 km de drenagem, abrangendo as ruas 51, 50, 55 e 57,  e o primeiro trecho do recapeamento da Rua Nilo Javari Barém, que serve de itinerário para o transporte coletivo . Também está em andamento a implantação de uma tubulação de drenagem dupla do Córrego Imbirussu (na altura do pontilhão sob os trilho) até a rotatória da Avenida Amaro Castro Lima , uma das entradas do Nova Campo Grande.

O projeto, orçado em R$ 40,3 milhões, abrange 16 quilômetros de drenagem,  o asfaltamento  de  24 ruas  (somando uma extensão de 20 km) e a execução de 9 km de recapeamento. Os bairros da região vão receber rede de esgoto, calçada e sinalização de trânsito.

A população do Nova Campo Grande e dos bairros no entorno convive há décadas com os problemas decorrentes das características do solo nesta  região. Em determinados locais, basta perfurar 1,5 metro para encontrar água. Minas afloram na superfície e a água da chuva demora a infiltrar no solo, o que deixa as ruas intransitáveis por muito mais tempo.

“Será preciso recorrer a algumas soluções de drenagem de alto custo, dreno profundo e implantação de colchões drenantes feitos com pedras”, explica o secretário Rudi Fiorese. O prazo de conclusão é de dois anos.

Etapa A

Pavimentação: Avenida 4 – Ramo A e B; Avenida 4 – Leste e Oeste; Avenida 10, Avenida Amaro Castro Lima, Avenida Wilson Paes de Barros, Rua 24, Rua 46, Rua 47, Rua 48, Rua 49, Rua 50, Rua 51, Rua 52, Rua 53, Rua 54, Rua 55, Rua 56, Rua 60, Rua 62 e a Rua 76.

Recapeamento: Avenida 10 e Rua Antonio Vieira de Mello, Avenida Amaro Castro Lima, Avenida Wilson Paes de Barros, Rua 26, Rua 57, Rua 60, Rua Emilia Teodora de Souza, Rua Felipe dos Santos e a Rua Teófilo Otoni (Antiga Rua Piraí).

Etapa B

Pavimentação: Avenida 2 – Via e Estacionamento, Avenida 3, Avenida 7, Avenida Amaro Castro Lima e a Rotatória 1.

Recapeamento: Avenida 2 e Avenida 7, Avenida Amaro Castro Lima

Construção da Ponte de 40 metros sobre e o Córrego Imbirussu, na Avenida 7.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui