Operação Carnaval termina com redução de 30% no número de acidentes com vítimas

0

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) divulga nesta quarta-feira (26.2) balanço da Operação Carnaval 2020. Dados da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul informam que houve redução de 30% em casos envolvendo acidentes de trânsito com vítimas em Campo Grande. O resultado positivo ocorreu após a intensificação das fiscalizações da Lei Seca, com apoio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MS).

 

Conforme levantamento da PM, em 2019 foram registrados 75 casos de acidentes com vítimas. Neste ano, com o reforço das fiscalizações, 53 casos foram registrados, promovendo uma redução de 30%.

 

Para o Comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Waldir Ribeiro Acosta, os índices foram satisfatórios. “Isso é muito importante. Quando o policial faz a blitz ou bloqueio, costumo dizer que nós fazemos o serviço de clínico geral. Tudo que está de anormal naquele veículo a gente observa. Tivemos ocorrências em que pessoas foram presas por estarem com mandado de prisão em aberto. Tivemos armas de fogo apreendidas, além de veículos recuperados de roubo ou furto. Nós intensificamos essas operações buscando reduzir os acidentes. Assim, retiramos aquelas pessoas das vias que não estavam em condições de dirigir e evitamos que novos acidentes ocorressem”.

 

Segundo dados do Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (BPMTran) de Campo Grande, dos 790 testes de etilômetro (bafômetro), 196 casos foram positivos para notificações de alcoolemia, dos quais 22 resultou em prisão em flagrantes por embriaguez. E mais 567 autos de infração sendo 48 condutores autuados por não possuir habitação, 22 por não possuir documento do veículo e mais 155 habilitações (CNHs) recolhidas. Além disso, 45 carros e 35 motocicletas foram encaminhadas ao pátio do Detran/MS.

 

Reforço

O Coronel Waldir Ribeiro ainda lembrou que houve aumento de efetivo nos municípios que solicitaram reforço. Os policiais foram distribuídos nas cidades de Corumbá, Bonito, Costa Rica, Jardim e Porto Murtinho. Em Campo Grande, os policiais trabalharam em regime de plantão e reforçou policiamento na Praça do Papa, Avenida Fernando Corrêa da Costa e Esplanada Ferroviária.

Durante a Operação Carnaval, a PM abordou 15.870 pessoas, 23 foram presas por estarem com mandado de prisão em aberto e 282 conduzidas à delegacia. A PM ainda abordou 9.574 veículos, dos quais 124 foram apreendidos e 102 encaminhados ao Detran/MS. Além disso, 14 armas foram apreendidas. Quanto às notificações, 26 foram ambientais e 1.001 no trânsito. A polícia ainda apreendeu 47,709 quilos de drogas e mais 2.406 pacotes de cigarro.

 

Polícia Civil

A Polícia Civil também divulgou dados da Operação Carnaval. Nos cinco dias de folia foram registrados 495 boletins de ocorrências, sendo 363 na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac/Centro) e 132 na Depac localizada no Centro Integrado de Polícia Especializada (Cepol).

Autos de prisão foram 51, sendo 31 na (Depac/Centro) e 20 na (Depac/Cepol). Mandados de prisão cumpridos totalizaram 13, sendo seis na (Depac/Centro) e sete na (Depac/Cepol), nesta última, quatro autos de apreensões de adolescentes.

 

Corpo de Bombeiros Militar

O Corpo de Bombeiros Militar também informou que entre o período de 21 a 26 de fevereiro contou com 220 militares. O total de ocorrências atendidas foi de 1.199, sendo que 439 vítimas que precisaram de socorro em todo o Estado. Em Campo Grande, foram a registradas 286 ocorrências, sendo 152 vítimas socorridas. Oitenta e cinco militares participaram da operação na Capital.

 

Polícia Militar Ambiental

A Polícia Militar Ambiental encerrou a Operação Carnaval nesta quarta-feira (26). O foco principal foi a prevenção e repressão à pesca predatória. Durante operação, 12 pessoas foram autuadas, sendo duas por pesca predatória. Os dados revelam avanço quando comparados aos anos passado quando das 16 pessoas autuadas, 13 foram por pesca,  6 por pesca predatória e 7  por falta de licença.

 

A PMA também soltou 28 kg de pescado que estavam vivos e presos em petrechos proibidos. Segundo dados da Ambiental, também houve autuação por desmatamento, erosões, poluição, manutenção de aves em cativeiro, transporte ilegal de madeira, posse ilegal de motosserra, carvoaria irregular, captação dois animais abatidos, além da apreensão de rifles e munições.

 

 

 

 

 

Foto: Arquivo Sejusp

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui