Prefeitura fará 61 KM de recapeamento em corredores de ônibus

0

A Prefeitura de Campo Grande planeja investir, ao longo dos próximos três anos, R$ 130 milhões no recapeamento de 61,15 quilômetros de vias de corredores do transporte coletivo. O projeto contempla avenidas como a Gury Marques, Costa e Silva, Calógeras, Mato Grosso, Cônsul Assaf Trad e Gunter Hans, além das ruas Rui Barbosa, 25 de Dezembro e Alegrete. Em todas as intervenções será implantada drenagem, o pavimento será refeito e haverá faixas exclusivas para o tráfego de ônibus.

Do valor total, há disponibilidade de R$ 53 milhões, recurso do financiamento do Projeto Mobilidade Urbana. Será usada uma parcela de R$ 77 milhões do empréstimo de R$ 115 milhões em negociação com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para completar os investimentos previstos e garantir a execução de 36, dos mais de 61 quilômetros previstos.

 

O financiamento do BNDES será destinado também a obras de pavimentação e drenagem do Complexo Rita Vieira (R$ 27 milhões, para execução de 27 km de asfalto) e Vilas Boas/Parque Dallas (R$ 11 milhões para atender uma malha de 11 km).

 

Na proposta original do Projeto de Mobilidade, o financiamento contratado na Caixa Econômica seria completado com recursos do Orçamento Geral da União, que custeariam trechos dos corredores norte (Avenida Cônsul Assaf Trad/25 de Dezembro e Alegrete) e sul (Gury Marques, Rui Barbosa, Costa e Silva).  Com o retardamento da implantação do projeto, o dinheiro a fundo perdido acabou não sendo liberado.

 

O projeto técnico encaminhado ao BNDES contempla o recapeamento de 7 km da Avenida Gury Marques, entre o Terminal Guaicurus e a entrada das Moreninhas, obra orçada em R$ 18 milhões. O trecho inicial da avenida, quatro pistas que somam 5,93 km entre o terminal Guaicurus e a Via Morena, está contemplado no Mobilidade Urbana. Integra o corredor sul, ligação da área central com os terminais Morenão e Guaicurus.

 

Também está previsto o recapeamento de 4,3 km da Avenida Costa Silva, desde a rotatória da Coca-Cola até a Avenida Calógeras, obra orçada em R$ 8 milhões. As obras na Rua Rui Barbosa, 4 km de extensão (entre a Rua Carlinda Tognini e a Avenida Mato Grosso) estão orçadas em R$ 10 milhões. Na Avenida Coronel Antonino serão investidos R$ 4 milhões no trecho de 1,7 km entre a Rua Bahia e a Avenida Assaf Trad. Na Rua Alegrete mais R$ 14 milhões, onde embora o trecho equivalente (1,86 km da Avenida  Trad até a 25 de Dezembro) ao da Coronel Antonino, o custo é  maior por causa do projeto de drenagem que eliminará os problemas de alagamento na região. Na Rua 25 de Dezembro, a previsão é destinar R$ 5 milhões para recapear 2,07 km, da Rua Alegrete até a Avenida Afonso Pena.

 

Sudoeste em andamento

 

O Projeto de Mobilidade Urbana começou a ser executado em 2017, com as obras do corredor sudoeste, nas ruas Guia Lopes, Brilhante e Marechal de Deodoro. Foi aberta licitação para recapeamento da Avenida Bandeirantes, calculada em quase R$ 10 milhões. O projeto executivo da Gunter Hans está sendo finalizado e será o próximo a ser licitado.

 

Também está sendo preparado o edital para requalificação do primeiro braço do Corredor Norte; 1,8 km da Rua Bahia, projeto orçado em R$ 4,8 milhões.  Será feito o trecho entre as avenidas Afonso Pena e Coronel Antonino. Este corredor vai ligar o centro da cidade aos terminais General Osório e Nova Bahia. O Mobilidade também prevê o recapeamento de 2,97 km da Rua Carlinda Tognini (da Costa e Silva a Rua Rui Barbosa); trechos da Rua 13 de Maio (entre a Mato Grosso e Maracaju) e da Rua Maracaju (entre 13 de Maio e a Avenida Calógeras).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui