Procon autua mercados em Rio Brilhante e encontra produtos vencidos desde 2017

0
Foto: Procon/MS

Campo Grande (MS) – Em atendimento a moradores no município de Rio Brilhante, que se mostraram insatisfeitos com as condições de atendimento em supermercados locais e se dirigiram ao Procon Municipal e, por meio deste, invocaram a ajuda do Procon Estadual, equipe de fiscalização da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor- Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast realizaram ação naquela cidade.

No decorrer de sexta-feira (2),  foram constatadas irregularidades que vão desde a exposição de produtos com validade vencida a presença de itens impróprios ao consumo por estarem sem informações essenciais e necessárias ao consumidor bem como com embalagens amassadas, rompidas ou violadas.

Em um dos estabelecimentos, o Mais Você Supermercado, havia produto vencido desde julho do 2017, caso de lenços, tinta para tecidos. Inúmeros outros itens, também sem condições de comercialização por estarem com validade expirada, estavam expostos a exemplo de 109 pacotes de café em pó, 53 unidades de tempero completo e 52 pacotes de fraldas.

Também vencidos estavam presunto fatiado, achocolatado, refrigerantes e cervejas, farinhas diversas, macarrão, fubá de milho, lenços umedecidos. Sem as informações essências ao consumidor, o supermercado expunha fraldas, chocolate líquido e coco ralado. Com embalagens danificadas, amassadas ou rompidas, foram encontradas unidades de fécula e farinha de mandioca. Ainda como irregularidades, vários produtos apresentavam divergência em relação aos preços expostos nas gôndolas e os efetivamente cobrados nos caixas.

No outro supermercado, o Pires, as irregulares foram, praticamente, repetitivas. Produtos vencidos tais como amendoim tipo japonês, massa fresca, biscoitos de nata achocolatados e polidor para sapatos estavam expostos à venda. Também sem conter as informações essenciais, a fiscalização encontrou aerossóis repelentes de insetos, cortes de frango e iogurte e, ainda, impróprios por estarem com embalagens amassadas ou violadas. O estabelecimento mantinha cervejas, refrigerantes, pele suína (pururuca), pizzas, frangos e peixes congelados.

Havia 24 unidades de 500g cada de carne de sol que, por algum motivo foram reetiquetados e, por isso não podiam ser vendidos.  A fiscalização verificou o descumprimento de preços anunciados em produtos como ofertas, mercadorias sem precificação e divergências nos preços entre as gôndolas e os caixas.

Nos dois casos, todos os produtos considerados impróprios para comercialização foram inutilizados de modo a não poderem voltar às gôndolas e descartados por funcionários dos supermercados na presença dos fiscais do Procon Estadual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui