Servidoras da Agepen são capacitadas em Operações Penitenciárias de Alto Risco Feminino

0

Duas agentes penitenciárias de Mato Grosso do Sul concluíram este mês o Curso de Operações Penitenciárias de Alto Risco Feminino (COPAR-FEM), realizado na capital do Rio de Janeiro. Foram capacitadas as agentes Marilene da Silva Souza e Dilma Colman Delbane, integrantes do Comando de Operações Penitenciárias (COPE) .

 

A qualificação teve como foco ampliar e aprimorar a tática individual de combate de cada participante, assim como desenvolver métodos operacionais em situação de risco, e atuar no gerenciamento de crises.

 

A capacitação ocorreu entre 30 de setembro e 11 de outubro e contou com operacionais femininas de várias forças de segurança. Realizado no Centro de Instrução Especializada e Instituições Externas (Ciesp), ligado à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) do Rio de Janeiro, o curso teve carga horaria de 103 horas/aulas e contou e evolveu assuntos como patrulha, ordem unida, defesa pessoal, tiro, APH tático, treinamento físico operacional, dentre outros.

 

“Foi uma experiência riquíssima e inédita, um curso com padrões altíssimos e o primeiro formulado só para mulheres, respeitando na medida do possível à fisiologia feminina, mantendo o padrão de qualidade necessária; fez cada dia valer a pena”, assegurou a agente Marilene.

 

Segundo ela, foram realizadas instruções de patrulha e inserções em comunidades do Rio de Janeiro, treinamento na base do Bope, na ilha grande, onde foi possível conhecer todo o complexo de Bangú, a história dos presídios do Brasil em Ilha Grande, instrução com a equipe do CIESP, entre outras. “A máxima de quando o corpo não aguenta a moral sustenta realmente fez valer, o desgaste físico foi grande, mas nunca pensamos em desistir, estávamos representando nosso Estado”, ressaltou a servidora.

 

Marilene pontuou ainda que a participação no curso também é uma forma de se capacitarem para serem multiplicadoras junto aos demais servidores, buscando elevar o nível operacional do Cope/Agepen.

 

Para comandante do Comando de Operações Penitenciárias em exercício, Richard Dias, esse curso é um dos mais difíceis na área de operações penitenciárias, com alto nível de dificuldade de ser concluído. “Ter integrantes do COPE capacitadas é muito importante para lidar com dificuldades do dia a dia, além de conhecerem outra realidade. Tal conhecimentos poderão ser utilizados aqui, principalmente na multiplicação de experiência. Com certeza conseguiremos aumentar nossa eficácia de atuação”, destacou Richard.

 

Como o curso foi institucional, com vagas oferecidas a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) pela SEAP/RJ, além da capacitação, foram oferecidos alojamento e alimentação.

 

 

 

Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta