Vídeo: alto escalão do narcotráfico, “irmão Levi” será trazido para o Brasil

0

Levi Adriani Felicio, 52, considerado um dos maiores fornecedores de drogas, armas de fogo e munição para as facções criminosas Primeiro Comando da Capital (PCC) e Comando Vermelho, será expulso para o Brasil.

 

Levi tinha um habeas corpus que o impedia de ser detido no Brasil; portanto, se ele fosse expulso do Paraguai, as autoridades brasileiras teriam que libertá-lo. Por esse motivo, eles pediram tempo para desvendar a situação e estabelecer as condições para receber Levi e levá-lo à justiça.

 

Levi, que foi preso ontem às 15h em seu apartamento, localizado no segundo andar do prédio Villa Nova Andrade, tem três processos criminais abertos no país vizinho.

 

Desde a prisão de Levi, o Ministério Público negociou com as autoridades brasileiras a expulsão, porque os funcionários das agências de segurança a consideram altamente perigosa e não aconselham que permaneçam detidas por muito tempo em nosso país, porque as prisões não possuem a infraestrutura necessária para abrigá-la com a segurança necessária.

 

Segundo os investigadores, Levi é um criminoso muito mais sinistro do que Marcelo Fernando Pinheiro Veiga (43), também conhecido como Marcelo Piloto. No momento de sua apreensão, ele possuía um pequeno arsenal com uma espingarda de calibre 762, duas pistolas de 9 mm e dois revólveres de 38 calibre, além de vários projéteis de calibre.

 

A operação em que ele foi preso foi liderada pela Fiscal Alicia Sapriza, que foi acompanhada por agentes da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui