Vídeo: Batalhão do Choque prende quadrilha e salva homem que seria executado no “Tribunal do Crime”

0
25

Policiais Militares do Batalhão de Choque, após receberem denúncia via CIOPS (190) de que na Rua Padre Antônio Franco, 1667 no Bairro Nova Lima, havia uma vítima em Cárcere Privado, diante das informações repassadas, as equipes do BATALHÃO DE CHOQUE, deslocaram no endereço informado, foi constatado que a vítima encontrava-se no endereço acerca de dois dias conforme relatos da própria vítima, ficando amarrado com fios nas mãos e nos pés.

 

A vítima informou que no dia 28 de Abril por volta das 14:00 horas recebeu ligação de um tal de JOSÉ e ZEDEQUIAS para que o mesmo fosse em um endereço no Bairro Tarsila do Amaral não sabendo precisar o nome da Rua (CARCERE chamado de “CANTONEIRA 1” ), chegando no endereço a vítima foi rendida e amarrada por JOSUE e ZEDEQUIAS, a vítima questionou o motivo daquilo, o que foi dito por JOSUE que era para o mesmo dar explicações e que isso era (tramite normal) após isso o mesmo foi colocado em um veículo modelo Belina (apreendida) e levado para a Rua Padre Antônio Franco, 1667 no bairro Nova Lima (CARCERE “CANTONEIRA 2”) a mando de ABEL vulgo SHINERAI ou CORINGA, nesse endereço a vítima permaneceu amarrada das 16 horas do dia 28/04 até dia 29/04/20019 por volta das 18 horas.

 

Nesse endereço encontrava-se a MAYK vulgo “DEST”, que durante todo o período no cárcere, permaneceu ameaçando de morte a vítima, ficando sob vigilância dos indivíduos a todo o momento, a vítima relata ainda que MAYK amarrou os seus pés e que este era o responsável pela sua morte. Relatou ainda que durante todo o tempo que permaneceu em cárcere os envolvidos faziam tal de conferência com outras pessoas que acredita ser de dentro do sistema penitenciário para decidirem sobre a sua execução (morte).

 

Após checagem dos indivíduos que se encontravam no local, constou contra um deles, Mandado de Prisão, sendo este evadido do sistema penitenciário. Foi feita busca no local do cativeiro onde foi encontrado o FIO USADO PARA AMARRAR A VÍTIMA, DUAS FACAS, DIVERSOS CELULARES, ENVELOPES CONTENDO DIVERSOS TALONÁRIOS DE RIFA COM POSSÍVEL INDÍCIO DE ANGARIAR FUNDOS PARA FACÇÕES CRIMINOSAS conforme consta em materiais apreendidos. Sendo assim, dada voz de prisão a todos os envolvidos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil para os procedimentos cabíveis.