Cartilha POP criada por Coronel David para humanizar atendimento às vítimas de agressão reafirma proteção às mulheres

0

A Cartilha POP (Procedimento Operacional Padrão) criada pelo deputado estadual e ex-comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Coronel David (sem partido) para humanizar o atendimento dos militares às vítimas de violência doméstica reafirma seu histórico de proteção às mulheres e características essenciais de seu mandato: diálogo constante com a comunidade e ações para reduzir a criminalidade.

Na Semana Estadual das Mulheres, o parlamentar enfatiza a importância em se reconhecer outros tipos de violência contra a mulher, como o abuso psicológico e patrimonial, e denunciar os agressores. Esta política de proteção às vítimas de violência doméstica e tolerância zero aos criminosos teve início quando o parlamentar ainda atuava na Polícia Militar do Estado e continua na Assembleia Legislativa.

Como ex-comandante-geral da PM em MS, David foi responsável por padronizar os atendimentos dos militares às vítimas de violência doméstica por meio da “Cartilha POP”. “Atuei por mais de 30 anos na segurança pública e sei o quanto é importante para as mulheres se sentirem seguras no momento da denúncia”, enfatizou Coronel David.

Os procedimentos criados pelo Coronel são reconhecidos e utilizados em outros estados do país e serviram de inspiração também para a Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres do Estado criar um protocolo sobre esse tipo de atendimento.

A Subsecretária Estadual de Políticas Públicas para Mulheres, Luciana Azambuja lembra que a cartilha criada à época do Coronel David inspirou a padronização desse tipo de atendimento em todos os órgãos da segurança pública do estado. “Esse manual serviu de base para que Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar e até mesmo a perícia fizessem o POP feminicídio, o Procedimento Operacional Padrão que dispõe sobre o primeiro atendimento a mulheres em situação de violência”, pontuou.

Como parlamentar, David se manteve fiel aos seus princípios de aperfeiçoar políticas públicas para as mulheres. Atuou como presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e Combate a Violência Doméstica e Familiar da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, destinou emendas para projetos voltados exclusivamente para elas e criou um Projeto de Emenda Constitucional para impedir a contratação de condenados por violência doméstica no serviço público.

“Continuo atento aos clamores sociais e, como todos sabem, sou integralmente a favor das políticas de defesa da mulher contra qualquer violência”, enfatiza o Coronel David. “Homem que bate em mulher é covarde e essa atitude não deve ser tolerada. Lugar de agressor de mulher é atrás das grades”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui