A Sociedade dos Poetas Vivos: coletivo Um Tinteiro e a literatura na Capital

Na imagem, da esquerda para a direita, Daniel Possari, Beca Casal e Luis Spaziani no I Encontro de Escritores de Campo Grande. Foto de Anna Bissacot

0

Inspirados no roteiro de Tom Schulman, o coletivo ‘Um Tinteiro’ busca fomentar a cena literária em Campo Grande (MS), formando uma sociedade dos poetas vivos. Nascido através de uma publicação no Twitter, os escritores Daniel Possari (28), Luis Spaziani (24) e Rebeca Casal (29) se encontravam semanalmente no My Cookies para estimularem suas criatividades e darem vida a seus planos, surgindo, assim, o Um Tinteiro.

No tweet de Luis, ele idealizava a reunião de escritores que estão escondidos na Capital. Rebeca, mais conhecida como Beca, foi encantada pela ideia e logo Daniel se uniu ao time. 

Estruturado sobre as bases apoio, inspiração e companheirismo, o grupo publica seus textos e encoraja outros escritores a desenvolverem suas artes. “É um coletivo que não abrange somente nós três, nosso interesse é promover o incentivo à cultura”, afirma o italiano Luis, que possui a escrita como algo imprescindível à sua vida. 

Fundadores do Um Tinteiro no primeiro evento presencial realizado pelo coletivo, no restaurante Verde Sorte Minha. Foto de Anna Bissacot.

Eventos

Buscando caminhos para que os escritores se conheçam e saibam que não estão sozinhos, a equipe realizou o I Encontro de Escritores em Campo Grande. Antes do agravamento da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o ‘Um Tinteiro’ contava com ampla lista de eventos a serem realizados, conseguindo colocar em prática esse encontro, que aconteceu no restaurante vegano Verde Sorte Minha no dia 16 de fevereiro deste ano. 

Dentre os planos, que foram apenas adiados e não cancelados, estão a organização de encontros mensais com escritores, saraus literários, gravação de um podcast, palestras, oficinas, cursos e rodas de conversa sobre diversos temas, como publicações digitais, por exemplo. Querem estimular a troca de textos e experiências, o ato de ‘se ler’. “A gente gostaria de ver as pessoas apreciando uma declamação, apreciando a leitura de uma obra”, afirma Beca, que considera o ato de escrever como vital.

Redes Sociais e Lives

Observando o potencial transformador da cidade que o projeto carrega, as redes sociais servem como holofotes para seus planos maiores. Com página no instagram, o @um_tinteiro é uma ferramenta para os escritores alcançarem seus objetivos e colocarem Campo Grande na rota dos eventos literários nacionais.

A realização de Lives no Instagram foi a estratégia que eles encontraram para continuar alimentando o contato com os escritores e de manter os objetivos vivos. Todas as segundas-feiras os encontros acontecem com a presença de escritores locais ou de fora, falando sobre conteúdos específicos. “A gente encontrou nas lives uma forma de adaptar nosso planejamento para a realidade atual”, revela Beca. 

Já foram realizadas 10 transmissões ao vivo com diversos temas, como “Marketing para escritores” com Maria Vitória e “A Banalização do Poeta” com João Vicente Ramalho. Até lançamento de livro aconteceu ao vivo pela página, que foi o caso de ‘Longe do Fim do Mundo’ de André P. Walker. Além de receberem um retorno positivo de quem os acompanha, os escritores também consideram as Lives um jeito de se distrair.

Além da programação na página oficial, Daniel e Beca também realizam Lives em seus perfis durante a semana. Na conta de poesia do Daniel, @dr.poesia, ele realiza transmissões todos os domingos e quintas-feiras. No caso de Beca, às terças-feiras @becacasal expõe diversas reflexões. 

Print das Lives na página do ‘Um Tinteiro’ no Instagram.

Impacto

Para Daniel a arte de colocar sentimentos em palavras corresponde à sua essência. Através da dinamicidade do coletivo, ele pode estar constantemente em contato com outros estilos de escrita. Durante esse período pandêmico, lançou seu primeiro livro ‘Os Contos que Canto’, disponível para a compra em formato de e-book na Amazon, e compartilha com o jornal Manchete Popular que ter Beca e Luis ao seu lado é um grande estímulo.  

A diversificação dos conteúdos não se limita aos diferentes modelos do instagram, como feed, stories e igtv, mas também reserva espaço para leitores-escritores. Através de um Desafio Literário proposto a quem os acompanha, o trio escolheu alguns textos de seguidores que mais os chamaram a atenção e publicaram em sua página, visando dar visibilidade àquelas pessoas.

O entusiasmo com as ações do grupo mostra a vivacidade do coletivo e de quem compartilha do mesmo sentimento. Criando redes de apoio e incentivo que fortalecem os laços literários, o ‘Um Tinteiro’ convida os escritores a se tornaram poetas cada vez mais vivos através da arte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui