Em sessão inaugural, vereadores abrem oficialmente os trabalhos de 2021

0

Apesar de já atuarem desde o início do ano com reuniões públicas, visitas e até mesmo votação de projeto, os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande abriram oficialmente, nesta quinta-feira (18), os trabalhos de 2021. A sessão solene inaugural dos trabalhos da 11ª Legislatura contou com a presença de diversas autoridades e, fechada ao público, pode ser acompanhada por meio das redes sociais da Casa de Leis.

“Temos um compromisso fundamental com o povo de Campo Grande. Em 2006, enfrentei um dos maiores desafios da minha vida, que foi um câncer maligno que tive e venci. Agora, um novo desafio é presidir a Câmara de Campo Grande. Trabalho para dar condições para vocês [vereadores] fazerem um bom mandato, não abrindo mão da fiscalização e buscando sempre a harmonia. A vida me ensinou muito. Sofri muito para chegar até aqui. A responsabilidade do Legislativo é muito grande”, afirmou o presidente da Câmara, vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão.

A sessão inaugural tem cunho solene, sem votação de projetos. A primeira sessão ordinária será no dia 23 de fevereiro. Os vereadores da Legislatura de 2021 a 2024 tomaram posse no dia 1º de janeiro deste ano e já iniciaram os trabalhos na Casa de Leis. No dia 13 de janeiro, por exemplo, ocorreu a primeira sessão extraordinária do ano para aprovação de projeto autorizando o Executivo a realizar a compra de vacinas com eficácia comprovada contra a Covid-19.

“Nossa função é ajudar a cidade, melhorar a qualidade de vida das pessoas. Não podemos ‘prefeitar’, e o prefeito não pode ‘verear’. Os poderes são independentes, mas harmônicos. Esse é o nosso papel. Quero sair daqui dois anos e ter ajudado vocês, o prefeito, a cidade, o governador e o Estado. Temos que errar menos, com equipe técnica preparada. Os tempos são outros”, concluiu.

Em sua fala, o prefeito Marquinhos Trad destacou os contratempos superados durante sua gestão anterior e as metas para garantir que as demandas da comunidade que chegam aos vereadores sejam atendidas.

“Neste sentido de responsabilidade, vamos reunir todos para apresentar o primeiro escalão, pois todos estarão à disposição para atendimento das demandas dos líderes comunitários que chegam aos gabinetes, para que todos tenham força para executar. Terão apoio e solidariedade sim. Estaremos de portas abertas, seja para sugestões, críticas, o que for. Todos os secretários são pagos para trabalhar por Campo Grande e vocês representam a população”, disse.

O prefeito ressaltou ainda a independência dos poderes, ressaltando a importância de discussões técnicas e públicas. Na solenidade, Marquinhos Trad entregou ao vereador Carlão, presidente da Casa, relatório das atividades de 2020, e fez um balanço dos desafios superados. “Ao assumirmos, encontramos uma cidade machucada, uma Câmara fraturada e foi na composição de homens e mulheres, sob a batuta do vereador Prof. João Rocha (ex-presidente da Casa de Leis), que fomos lentamente colocando as coisas nos seus devidos lugares. Restauramos a confiança, pregamos a harmonia, fizemos consenso e conciliação”, ressaltou, ao agradecer ao presidente anterior pelas contribuições na sua gestão.

Trad ressaltou também o trabalho para ampliar as moradias em Campo Grande, pois na gestão anterior nada foi feito neste aspecto. Ainda, foram herdadas pendências, como as residências inacabadas da Homex. A conquista de Campo Grande como melhor capital do Centro-Oeste para se viver e sétima melhor capital do País em qualidade de vida também foram enfatizadas.

O enfrentamento à Covid-19 também foi outro ponto detalhado por Marquinhos Trad em seu discurso. Campo Grande foi a primeira capital a editar decreto relacionado ao coronavírus, ainda no dia 27 de fevereiro do ano passado. “Não tínhamos um registro de óbito dentro do País e já estávamos discutindo. Por isso colhemos frutos que renderam sorrisos porque muitos saíram dos hospitais com placa escrita ‘Eu venci a Covid-19’”, afirmou, ressaltando as parcerias com Governo do Estado e a equipe da Secretaria Municipal de Saúde. Na vacina, Campo Grande também tem se destacado como uma das melhores do País. Além disso, a Capital conta com centro de recuperação pós-Covid.

O secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, também participou da solenidade e defendeu a união entre as esferas do poder público para manter Campo Grande no rumo do desenvolvimento.

“O Estado tem vocação de trabalhar junto com os municípios. Aqueles que recebem de braços abertos e entendem, conseguem resultados positivos para sua população. É o caso de Campo Grande. Em 2015, quando assumimos, estávamos em um momento extremamente delicado. A pior crise econômica, social e política que o País já viveu. Tivemos que atuar de maneira muito firme para poder manter o Estado equilibrado em seus vários aspectos. Muita discussão, entendimento, com o propósito de trazer o desenvolvimento para o Estado e a condição de investir. Isso só seria possível em uma união estreita, com os 79 municípios de Mato Grosso do Sul”, discursou.

Responsabilidade – Vereadora em seu primeiro mandato, Camila Jara falou sobre a responsabilidade de ocupar uma cadeira o parlamento municipal. Mais jovem entre os 29 eleitos nas eleições de outubro, com 26 anos, ela lembrou a crise econômica que o País atravessa e defendeu políticas efetivas para reduzir as desigualdades sociais.

“É extremamente importante que ninguém seja deixado para trás. Precisamos pensar políticas efetivas, que visem reduzir nossas desigualdades, pois, só assim, poderemos ser uma Capital modelo. Temos que representar cada voto recebido. Conquistamos nas urnas a chance de provar que a política pode ser feita para e com as pessoas. O vereador é um servidor público, estamos aqui para servir e atender a população, e pensar, junto com ela, solução para nossos problemas. É preciso honestidade e comprometimento dos que lidam com a coisa pública”, defendeu.

Também em seu primeiro mandato, o vereador Tiago Vargas foi outro a defender harmonia e independência entre Executivo e Legislativo. “É uma responsabilidade ímpar, pois iniciamos, oficialmente, nossos trabalhos legislativos em um ano cheio de desafios decorrentes de um mal que assola toda a sociedade. Essa pandemia nos mostrou que, para vencer, precisamos estar unidos e sem vaidades. É nesse espírito de unidade, com o poder Executivo, e respeitando as divergências, que nossos trabalhos serão pautados. Por sua vez, a independência e harmonia entre os poderes como princípio fundamental para o avanço da democracia deve ser cada vez mais fortalecido.  O ano que iniciou está diferente. Há sequelas, mas, trabalhando em conjunto com o Executivo, sem perder sua independência, vamos corresponder aos anseios dos cidadãos campo-grandenses”, disse.

 

Foto: Izaias Medeiros

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui