Empresários e representantes da administração municipal se reuniram na segunda-feira (29), para discutir as principais dificuldades encontradas no setor de shows e eventos. O encontro promovido pelo vereador João César Mattogrosso (PSDB) elencou as possíveis ações para aprimorar a legislação e os investimentos na área. A pauta voltará a ser debatida, no dia 19 de junho, às 14h, no Plenarinho da Câmara Municipal.

Segundo Mattogrosso, é importante a interação do poder público com os empresários, uma vez que é necessário levar segurança política aos idealizadores de eventos. “Já deixo encaminhada as indicações para a próxima reunião com o objetivo de estabelecer parcerias, em busca de associações para fortalecer as solicitações de melhorias”.

A secretária Municipal de Cultura e Turismo, Nilde Brun, manifestou preocupação com a situação atual do setor. ”Até mesmo a Prefeitura tem encontrado dificuldade para realizar grandes eventos na cidade, sendo de extrema importância definir critérios para implantar melhorias neste segmento”, declarou.

Em contrapartida, os empresários reclamam da desatualização dos decibéis exigidos pela Lei do Silêncio, colocando em xeque a aplicabilidade da lei. Além disso, solicitam movimento da Casa de Leis por uma articulação maior para realização de eventos e propõem alternativas para viabilizar a produção de grandes shows.

Para Melissa Tamaciro, da Campo Grande Destination, o encontro mostra o interesse dos empresários em mostrar a cidade para o país, e, futuramente para o mundo. “O objetivo é a gente ter um lugar que podemos conversar sobre os interesses dos empresários do mercado e das pessoas que querem mais entretenimento. A Capital é uma cidade com alto potencial para ser um polo de eventos”.

O proprietário da Valley Pub, Valley TAI e Valley Acoustic Bar, Sérgio Longo, enfatizou as dificuldades do local e a burocracia encontradas atualmente. “O custo é muito caro, por não ter um local estruturado. Hoje, o cenário é bem fraco em Campo Grande. Acho muito bacana ter um espaço como esse para discutir o assunto diretamente com os órgãos de fiscalização para saber quais caminhos tomar”.

Além de demonstrar as dificuldades e tirar dúvidas, o empresário reforçou a importância do encontro para a economia do município.

“Hoje, a Valley realiza 75 shows por mês, em todas as casas. Emprega mais de 200 pessoas. Por trás da gente existem muitas famílias que dependem desse tipo de evento e reunião, que também são beneficiadas. Somos investidores na cidade, que aposta e acredita que tem que ter melhorias”, finaliza.

 

MP com Assessoria

Deixe uma resposta