Governo de MS financia pesquisas que devem contribuir na luta contra a Covid-19

0

Duas pesquisas financiadas pelo Governo estadual, por meio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia (Fundect), pretendem contribuir na luta contra a pandemia de coronavírus em Mato Grosso do Sul. Uma delas vai fazer testes de covid em doadores de sangue assintomáticos e a outra avaliar a qualidade de produtos com álcool 70% vendidos no comércio e usados em hospitais públicos do Estado.

Os projetos foram selecionados no edital da Fundect, que prevê o investimento de R$ 712, 5 mil em 27 pesquisas para ajudar e contribuir com à saúde pública, tendo nesta edição trabalhos voltados à pandemia do covid-19. O próximo passo do certame é a assinatura dos contratos e logo depois liberação dos recursos para início das atividades.

Doadores de sangue

A professora de Medicina da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Herintha Coeto Neitzke, estará à frente da pesquisa sobre doadores de sangue assintomáticos em Dourados. Para isto irá promover testes de covid-19, no modelo RT-PCR e de sangue, em um grupo que faz doações (sangue) no Hemosul do município. A amostragem será de 500 indivíduos.

“O banco de sangue (Hemosul) não faz estes testes para covid e sabemos que a maioria dos infectados com o vírus não apresenta sintomas, por isso é importante para avaliar este grupo”, explicou Herintha. Ela ponderou que a pesquisa será desenvolvida neste semestre, em um período estimado de três meses.

Todo material coletado será avaliado no laboratório da UFGD, que já faz análise de exames de covid em parceria com o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública). Para realizar a pesquisa haverá a participação de grupo de até 15 estudantes e pesquisadores da Universidade.

“Já realizamos um projeto parecido nos bancos de sangue em Dourados, com testes em relação a leishmaniose em 2020. Agora vamos focar na covid-19, para contribuir com a saúde pública, visando reduzir os riscos de contaminação”.

A pesquisadora acredita que editais como este ajudam em pesquisas, que vão trazer retorno para comunidade. “Assim podemos colocar em prática estes projetos importantes. Estes incentivos são válidos para o setor e ainda levam conhecimento para fora da universidade”.

Qualidade dos produtos

Outra pesquisa selecionada pela Fundect vai avaliar a qualidade de produtos a base de álcool, que são adquiridos no comércio e usado nos hospitais públicos de Campo Grande. A intenção é saber se tais itens são eficazes na desinfecção contra a covid-19. Ela será conduzida pela professora da UFMS (Universidade Federal de Mao Grosso do Sul), Nájla Mohamad Kassab.

“Vamos buscar a doação destes produtos nos hospitais, comércio e rede pública, até porque iremos precisar de pouca quantidade para fazer os testes, em diferentes marcas. A intenção é avaliar a eficácia dos itens, até para dar segurança para quem utiliza, pois boa parte do contágio ocorre pelas mãos”, ponderou.

Ela ressaltou que será definida a amostragem e que toda análise irá ocorrer no laboratório da Facfan (Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Alimentos e Nutrição), no campus da UFMS, em Campo Grande. “A população precisa de produtos e medicamentos de qualidade, com eficiência, não apenas para prevenção, mas também no tratamento de doenças”.

Também elogiou os investimentos feitos pelo governo estadual em pesquisa sobre saúde pública. “É muito importante ter estes editais que financiem trabalhos de controle de qualidade, até porque o próprio poder público como Estado e prefeituras compram muitos medicamentos para suas unidades, que são distribuídos à população”.

Programa

O Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde está em sua segunda edição, que somando o edital lançado em 2016, chega-se ao investimento de R$ 1,4 milhão em pesquisas voltadas para saúde pública de Mato Grosso do Sul.

“Nesta última edição tivemos o cuidado de refazer o edital, para incluirmos a linha de pesquisa sobre a covid-19 com bons trabalhos selecionados. Nossa intenção é financiar projetos que possam trazer soluções para problemas da saúde pública, entre eles a pandemia do coronavírus”, destacou o diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo.

O diretor explicou que os projetos em maioria são voltados para atenção básica, em três linhas de pesquisa: redes de atenção à saúde, saúde nas fronteiras e vigilância em saúde. Cada projeto selecionado terá até R$ 30 mil de financiamento. Mato Grosso do Sul foi o terceiro estado a lançar o edital em todo País.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui