Grupo que aplicava golpe de previdência agia com ramificação em Mato Grosso do Sul

0

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (9) a Operação MG2, com objetivo de desarticular um grupo criminoso voltado ao crime de estelionato previdenciário com atuação nos estados do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso. 

Aproximadamente oito policiais federais cumprem dois mandados de busca e apreensão na cidade de Várzea Grande/MT. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Campo Grande/MS. 

A investigação teve início em julho de 2018 após a prisão, pela Polícia  Civil de Fátima do Sul/MS, de um dos investigados por uso de documento falso, oportunidade em que foram apreendidas seis Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) falsas, todas com a fotografia do investigado, e que teriam sido utilizadas para efetuar pedidos de benefícios previdenciários em diferentes cidades do estado de Mato Grosso do Sul, como Fátima do Sul, Três Lagoas, Bataguassu e Ponta Porã.   

Segundo a PF, à época foram apreendidos diversos atestados médicos suspeitos, requerimentos de benefícios previdenciários utilizando os nomes que constam dos documentos falsos arrecadados em poder do investigado, radiografias e materiais utilizados para simular engessamento dos braços. Constatou-se ainda que o investigado teria obtido sucesso na concessão de alguns dos benefícios.

Durante a investigação foram encontrados indícios de que o crime teria sido planejado e coordenado por pessoa residente na cidade de Várzea Grande/MT.  As medidas judiciais buscam reforçar as evidências da participação da dupla e outras pessoas neste e em outros esquemas criminosos relacionados a fraudes previdenciárias.

Se comprovadas as suspeitas, os investigados responderão pelo crime de estelionato previdenciário e as penas podem chegar a 6 anos de prisão. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui