Manifestação em Dourados derruba decreto de fechamento de bares e conveniências

0

Na manhã de quarta-feira (8), trabalhadores de conveniências e academias de Dourados (MS) se reuniram em frente à Prefeitura Municipal em uma manifestação pacífica contra o decreto que implica no fechamento dos estabelecimentos por 10 dias. Como resultado disso, novo decreto foi publicado permitindo que as conveniências permaneçam em funcionamento, mas apenas com sistema de delivery e drive thru.

O Decreto Municipal n° 2.723 de 08 de Julho de 2020 delibera a suspensão de atividades em academias de ginástica, studios, bares, conveniências e tabacarias. Visando o controle dos casos do novo coronavírus na cidade, essa medida entraria em vigor a partir do dia 10 de julho, mas ontem (9/7) às 8:00, o protesto foi realizado.

A organização prévia aconteceu por meio de grupos no Whatsapp e posteriormente com a divulgação de imagens nas redes sociais convidando pessoas a participarem, fazendo uso da hashtag #NãoSomosOProblema.

No mesmo dia, a Prefeitura Municipal de Dourados mudou as determinações. No Decreto Municipal N° 2.735 de 09 de Julho de 2020 fica alterado que “Os serviços de conveniências e bares poderão atender somente por entrega em domicílio (delivery), ou retirada expressa sem desembarque (drive-thru)”.

José Carlos Peromingo, trabalhador da distribuidora Cordil, relata que o fechamento do estabelecimento comprometeria muito a renda dos funcionários e de suas famílias. Ele acredita que “medidas devem ser tomadas, mas não com essa radicalidade”, de forma que há necessidade de uma “proposta que traga benefícios concretos”.

Imagem: Redes Sociais

Para Antônio Rodrigues, gerente da conveniência Caminho de Casa, o sistema de drive-thru expõe mais os funcionários do que se o cliente fosse até a grade e retirasse seu produto, sem entrar no estabelecimento. “Acho que essa ideia do drive-thru não ficou legal, mas para a gente que precisa trabalhar, melhor isso do que nada”, conclui ele.

No caso das academias e studios, o decreto continua em vigor e na sexta-feira (10/7) já fecharam as portas temporariamente. Segundo profissional da área de educação física que não quis ser identificado, seu estabelecimento estava cumprindo as medidas de segurança e higienização para que fosse possível seguir proporcionando saúde para as pessoas através dos exercícios físicos.

Esse grupo de trabalhadores começou a discutir sobre a formação de Associações e Sindicatos, o que a fonte acredita que vai “servir para fortalecer a classe dos profissionais de educação física, para tentar buscar alguma reivindicação melhor. E tentar ser mais bem visto pela sociedade e pelo Poder Público”.

 

 

 

Imagem: TV Morena/Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui