Mato Grosso do Sul projeta construção de hospital para atender idosos em diversas especialidades

0

O Secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, entregou nesta sexta-feira (16) ao Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ofício em que solicita repasse de R$ 50 milhões em aporte financeiro para a construção do Hospital do Idoso em Campo Grande. A entrega aconteceu durante a abertura da 1ª Reunião de Gestores do Mato Grosso do Sul, que reuniu 79 Secretários Municipais de Saúde, realizada pela manhã na Assembleia Legislativa de MS.

Justificando a importância e necessidade da estrutura, Geraldo Resende disse que o Estado deve ofertar cuidado especializado, integral e multiprofissional com ênfase na saúde do idoso. Para tanto, está sendo proposta uma unidade hospitalar com capacidade para 140 leitos, composto por serviço de pronto atendimento, ambulatório especializado em saúde do idoso, internação hospitalar, unidade de terapia intensiva, hospital-dia geriátrico e serviço de assistência domiciliar; e contará com várias especialidades clínicas de interesse da área de geriatria e gerontologia, como cardiologia, pneumologia, urologia, neurologia, reumatologia, odontologia hospitalar e traumato-ortopedia entre outras especialidades.

“Nós queremos que o Hospital do Idoso seja inspirado num modelo assistencial de referência em geriatria e gerontologia, que pretende, além de intervir no alarmante e já consolidado quadro de doenças próprias da terceira idade, antecipar e atender às necessidades e demandas decorrentes do crescimento da população acima de 60 anos”, destaca o secretário.

Segundo levantamento realizado pela SES, considerando os próximos 10 anos, o Estado deverá apresentar maior população idosa acima de 60 anos em relação aos menores de 19 anos. O aumento da curva da densidade demográfica faz com que o Estado inicie os preparativos para atender este novo público. Somente no ano de 2020, por exemplo, as faixas etárias que mais utilizaram serviços hospitalares foram os idosos de 60 a 69 anos com 42%; de 70 a 79 nos, com 37%; e acima de 80 anos, com 21%.

“Este hospital colocará Mato Grosso do Sul na vanguarda da Saúde Pública, preenchendo um vazio assistencial que é, hoje, a Saúde do Idoso; que tem importantes impactos de natureza assistencial, social e econômica”, afirma Geraldo Resende.

Os benefícios desta unidade hospitalar vão contribuir para a comunidade científica como Instituição geradora de conhecimento em gerontologia e geriatria e na formação de profissionais qualificados para prestar o cuidado ao idoso como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e cuidadores de idosos.

Deixe uma resposta