Na Câmara da Capital, despesas ultrapassam R$ 1,7 milhão em 5 meses; veja quanto os vereadores gastaram

Em cinco meses teve vereador que gastou R$ 83,911,00 e parlamentar que não divulgou a prestação de contas

0
Foto: Izaias Medeiros

De janeiro a maio as despesas na Câmara Municipal de Campo Grande ultrapassaram R$ 1 milhão de reais. O balanço dos gastos realizado por este portal no começo do mês revela que os vereadores ainda não prestaram contas em alguns meses.

 

Quem leva o título de “gastão” é o vereador Delei Pinheiro (PSD), com R$ 83.911,00 gastos, principalmente com impressão de material gráfico que só no primeiro mês custou R$ 8.220,00. Outra despesa alta no mesmo período foram os R$ 6.400,00 do parecer parlamentar, além dos R$ 1.900,00 com as redes sociais.

 

Os valores gastos são referentes a verba de R$ 16.800,00 que cada gabinete recebe mensalmente para realizar os trabalhos parlamentares. A contrapartida do recurso é a prestação de contas no site da Casa de Leis, porém já estamos no segundo semestre e tem vereador que nem chegou perto do portal da transparência como Ademir Santana (PSDB). Isso porque no local onde deveria ter os dados, ainda está como “nenhum registro encontrado”.

 

Ademir está no segundo mandato, assumiu uma vaga no legislativo em maio deste ano, após o vereador João Cesar Mattogrosso ir para Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura.

 

Os 5 primeiros voltando ao ranking dos vereadores que mais gastaram quem está na segunda posição é o Professor Juari (PSDB), com 83.636,25. Em janeiro foram gastos R$ 8.281,45 com locação de carro e combustível, divulgação parlamentar além de mais R$ 8.400,00 com pareceres, projetos técnicos, redes sociais, etc.

 

O petista Ayrton Araújo aparece na terceira colocação, com gastos de R$ 83.000,00. No primeiro mês os gastos chegaram a R$ 16,600,00 usados com parecer, redes sociais, locação de veículo e divulgação parlamentar. Dr. Sandro Benites (Patriota) está no quarto lugar e em cinco meses gastou R$ 82.798,70. Ele tem apostado firme nas redes sociais que geram custo mensal de R$ 8,400, desde que assumiu uma cadeira no legislativo. Na quinta posição está Otávio Trad (PSD), com R$ 82.385,39. Contudo, diferente dos outros, ele é o único a estar com a prestação de contas em dia, com discriminação das despesas até o mês passado. O balanço revela que em janeiro, o vereador gastou R$ 16.400,00 com divulgação, redes sociais e pareceres.

 

Ranking

Dando continuidade à colocação, é a vez de Valdir Gomes (PSD), que gastou R$ 81.949,62 em cinco meses. O 7º colocado é Tabosa (PDT) que gastou R$ 81.754,38, seguido pelo Papy (Solidariedade) com custos de R$ 80.900,00. Na cola deles aparece o Professor João Rocha (PSDB) com R$ 80.085,13.

 

No nível mais abaixo está Junior Coringa (PSD) que de janeiro a maio gastou R$ 79.911,72. Na 11ª posição surge o vereador Beto Avelar (PSD) R$ 78.750,00, enquanto a 12º colocação fica com William Maksoud (PTB) que teve gastos de R$ 74.730,65 já que chegou a prestar parte das contas do mês de junho.

 

Betinho (Republicanos) aparece na 13ª colocação, com gastos que chegou a R$ 74.256,88. Ele é seguido por Edu Miranda (Patriota) que gastou R$ 73.839,84, que ainda falta prestar todas as contas referente ao mês de maio. Quem fica no 15º lugar é Dr. Victor Rocha (PP), com custos de R$ 71.280,00 e também não divulgou o balanço total do mês cinco.

 

Na 16ª posição está o Zé da Farmácia (Podemos) por gastar R$ 71.169,89, o valor não inclui o total do mês de maio, já que parte da verba gasta não foi divulgada no portal da transparência.

 

O próximo colocado é Professor Riverton (DEM) com gastos de R$ 70.136,43 e na sequência está Gilmar da Cruz (Republicanos) que gastou nesse período o valor de R$ 64.379.07. Tiago Vargas (PSD) está na 19ª posição do ranking e mostrou o custo de R$ 58.795,20.

 

Os 20 +

Na vigésima colocação está Dr. Jamal (MDB) com gastos de R$ 57.594,70, isso porque ainda falta parte da prestação de contas referente aos meses de março, abril e maio. A vereadora Camila Jara (PT) está na 21ª posição, já que em janeiro tentou trabalhar com um orçamento enxuto e gastou apenas R$ 2.756,84 do valor recebido. No entanto, até maio ela teve gasto de R$ 55.755,14.

 

Coronel Alírio Villasanti (PSL) surge na 22ª posição com gastos de R$ 49.202,00.  No balanço aparece o custo R$ 3.130,00 em fevereiro.

 

Clodoilson Pires (Podemos) fica na 23ª colocação e gastou R$ 48.216,83, mas também não divulgou toda a prestação das contas de abril e maio. Quem também não publicou todos os custos do primeiro semestre é o presidente da Casa de Leis, Carlão (PSB), que ocupa a 24ª colocação, com gastos de R$ 45.116,38.

 

Na 25ª posição está Ronilço Guerreiro (Podemos), com gastos de R$ 42.577,73. Assim como os outros parlamentares, ele é mais um da lista dos vereadores que não divulgaram todos os gastos que tiveram desde o início do ano.

 

Não divulgados

A lista dos vereadores que não publicaram o total dos gastos que tiveram no primeiro semestre é longa por isso, quem ocupa o 26º lugar é Silvio Pitu (DEM) com R$ 32.257,58. Na sequência aparece Professor André Luis (REDE) com custos de R$ 22.643,93. Na 28ª posição está o ex-vereador João César Mattogrosso (PSDB). Ele atuou na Casa de Leis até maio e apresentou parte dos gastos no valor de R$ 19.935,02.

 

O último colocado é o Dr. Loester (MDB), com gastos de R$ 12.921,14. A quantia é apenas parte dos custos nos últimos meses.

 

Despesas milionárias

A soma dos gastos divulgados já chega a R$ 1.695.601,00, na Casa de Leis. No entanto, ainda faltam os valores não publicados que segundo a assessoria da Câmara, estão sendo revisados para pagamentos ou digitalizados pela transferência. Além disso, o local conta com outras despesas como a de energia e outros contratos.

Deixe uma resposta