Polícia de MS “cancela 4 CPFs”: um deles, o maior assaltante de carros-fortes do Brasil

0

Quatro assaltantes envolvidos com a tentativa de roubo ao carro forte da empresa Brink’s, na última segunda-feira (2), na MS-156, entre as cidades de Amambai e Caarapó, morreram em confronto com as forças de Segurança Pública, nesta madrugada de quarta-feira (4), no sul do estado.

As primeiras informações dão conta que equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Choque da PMMS, Departamento de Operações de Fronteira, Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira e Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros localizaram o grupo com armamento pesado e no confronto, em uma fazenda no município de Coronel Sapucaia, fronteira com o país vizinho, Paraguai.

Os policiais localizaram o grupo na noite de ontem (3), e na manhã de hoje, com ordem judicial expedido pelo juízo da comarca de Amambai, os policiais iniciaram a operação.

 

Dentre os mortos esta José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, um dos assaltantes de bancos e carros-forte mais procurados do País. Ele era líder Bonde do Maluco, conhecido como BDM, considerada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia, a facção mais truculenta do estado.

 

Consta que um dos bandidos mortos seria José Francisco Lume, o ‘Zé de Lessa’, um dos mais procurados do país assaltante de bancos. Segundo a polícia, ele é o líder do Bonde do Maluco (BDM), considerada hoje a facção mais truculenta do estado da Bahia.

 

A ocorrência está em andamento, e ainda não foram informados os nomes dos demais criminosos.

 

O atentado

 

Na manhã de segunda-feira (2), criminosos armados com fuzis atacaram um carro-forte de empresa de transporte de valores Brink’s, na MS-156, entre as cidades de Amambai e Caarapó.

 

O veículo da empresa de transporte de valores, a Briks, foi atacado numa região considerada de “ponto cego”, sem sinal de comunicação.

 

Segundo a polícia, o grupo chegou a colocar explosivos na porta do veículo, porém, não conseguiram abrir. Os vigilantes que estavam no carro-forte correram e pediram ajuda em uma fazenda, sendo resgatados.

 

Os bandidos estavam em um Jeep Renagade, da cor branco, que entrou na frente do carro-forte. O grupo passou a atirar contra o veículo de transporte de valores. Após receber vários disparos, a maioria no pneu, o motorista parou o veículo às margens da rodovia e todos os ocupantes desceram e empreenderam fuga, no entanto, o carro-forte permaneceu fechado.

 

Como não conseguiram levar dinheiro, o Renegade foi incendiado. Para fugirem em direção ao Paraguai, os bandidos interceptaram um C4, abandonando os passageiros na estrada.

 

Conforme a polícia, o carro-forte saiu de Dourados e seguia com dinheiro para abastecer bancos na região sul do estado.

 

Deixe uma resposta