Prefeitura inicia obra de drenagem para eliminar ponto de alagamento na Avenida Cônsul Assaf Trad

0

A Prefeitura de Campo Grande iniciou nesta semana obras de drenagem projetadas para eliminar um ponto de alagamento na pista bairro/centro da Avenida Cônsul Assaf Trad, proximidades do Terminal Nova Bahia. Hoje a   enxurrada que desce do Residencial Abaeté fica empoçada na pista centro/bairro da Assaf Trad. Por causa do canteiro central da avenida, a água da chuva acaba represada.

 

Uma tubulação atravessará as duas pistas da avenida para conexão com a drenagem já existente e que capta a enxurrada que desce do Residencial Abaeté e bairros vizinhos. Com isto, as águas pluviais da margem direita da avenida (sentido centro/bairro) passarão sob avenida, escoando até a drenagem implantada em outra etapa do projeto (o Complexo Atlântico Sul), no Morada do Sossego, bairro na margem esquerda (sentido centro).

 

O projeto, orçado em R$ 3,9 milhões, prevê ainda a execução de 863 metros de pavimentação.  Será feito um trecho de 555 metros de asfalto da via lateral (a terceira pista da avenida) a partir do corredor  da Nova Lima até encontrar o trecho já asfaltado. Será feita uma alça de acesso de 200 metros à Cônsul Assaf Trad e mais 107 metros na Rua Coxim.

 

Também está previsto a execução de 2,1 km de recapeamento, abrangendo 1,5 km da pista bairro/centro da Cônsul Assaf Trad (que ano passado recebeu pavimento novo desde o início avenida, na  rotatória com o macro anel) e mais 600 metros, distribuídos em pequenos trechos das ruas João Antonio Lunardi; Ermandina Silveira e Guanambi.

 

Ordem de serviço

 

Nos próximos dias serão iniciadas outras duas frentes de obra, que já estão com ordem de serviço assinadas. Com saldo de recursos do  Complexo Sírio-Libanês, serão investidos R$ 4,9 milhões na implantação de 881 metros de drenagem, 1 km de pavimentação na Vila Lidia, bairro próximo a Avenida Tamandaré. Serão pavimentadas as ruas Teodomiro Serra; Araras; Luiza Ribeiro, 2 de Outubro, Bem-Te-Vi, Doutor Laureano e Seriema. O projeto prevê  a execução de 5,8 km de recapeamento, abrangendo a Avenida Florestal e a Rua Bacabal, acessos ao conjunto habitacional Coophatralho, além da  Avenida Julio Maksoud, no Bairro Monte Castelo.

 

Na  segunda frente de serviço serão investidos R$ 6.816.922,06 para execução de 1,8 km de drenagem, 2,5 km de recapeamento e 3,2 quilômetros de pavimentação. Será concluído o novo acesso à Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) pelas ruas Marechal Câmara e São Faustino. Na Marechal Câmara, faltam 820 metros de asfalto entre as ruas São Basílio e São Maximiliano. Atualmente, o acesso à universidade, que tem 10 mil alunos, é feito pela Avenida Tamandaré e Rua Cardeal Arcoverde.

 

Está previsto o recapeamento de um trecho de 700 metros da Avenida Tamandaré (entre a Presidente Roosevelt e a  Rua Lateral) que ainda não recebeu novo pavimento. O restante da avenida, desde a Julio de Castilho, foi recapeado ano passado. Também serão recapeadas as ruas do Seminário e a Avenida Padre João Falcão

 

Estão programadas obras de drenagem e controle de enchentes no Jardim Paradiso, que fica na margem esquerda (sentido centro-bairro) da Avenida Tamandaré. Será implantada uma rede de drenagem para escoamento das águas pluviais  até o Córrego Frutuoso (afluente do Segredo) que atravessa a Tamandaré. Receberá drenagem e pavimentação a Rua Três Marias que captará a enxurrada que desce de um bairro vizinho, o Nossa Senhora das Graças.

 

Quando chove forte, toda esta enxurrada pressiona a drenagem de um bairro vizinho, o Jardim Paradiso, arrancando  a pavimentação de ruas como Ângela Abdulahad e Carlinda  de Almeida Lemos. Também estão programadas intervenções nas ruas Lindóia, Monte Azul, Itabira; Benedito Terra, Rosário Congro, Bonança e  General Benedito Xavier.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui