Procon Estadual notifica sindicato e escolas sobre lista de materiais e venda casada

0

Dada a aproximação  de mais um ano letivo e visando evitar abusos com  solicitação de materiais escolares desnecessários, o que ocorre  por ocasião de matrícula ou rematrícula, a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast notificou, tanto o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso do Sul – Sinepe quanto escolas particulares a cumprirem diversas determinações legais.

Ao Sinepe, a  notificação visa, basicamente, solicitar aos responsáveis pelo Sindicato que comuniquem aos estabelecimentos a ele  associados a necessidade de enviarem ao Procon Estadual, no prazo máximo de  dez dias corridos a partir da notificação, a lista de materiais escolares a serem solicitados dos alunos para o ano letivo de  2 021: o plano pedagógico escolar do uso dos materiais e o plano de biossegurança de prevenção e combate à Covid 19, causada pelo Coronavírus.

O documento encaminhado recomenda, também, que o Sinepe oriente os filiados de todo o Estado que não deixem de observar a legislação de modo a se absterem da prática de venda casada  levando os responsáveis pelos estudantes a condicionar a matrícula ou rematrícula à aquisição de materiais escolares que façam parte da lista apresentada pela escola. Solicita, também, que oriente os estabelecimentos  de ensino a não deixarem de  encaminhar a lista de materiais ao Procon Estadual.  Por meio da notificação, foi solicitado que o Sindicato comprove, por  e-mail ou outros instrumentos, o repasse das comunicações.

Estabelecimentos 

Paralelamente à notificação ao Sinepe, foram notificados os  colégios  Alexander Fleming, Nota Dez, Bionatus e Harmonia,  de forma individual para, no prazo impreterível de  dez dias, apresentarem ao Procon Estadual a planilha de custos e a lista de materiais a serem solicitados aos alunos. O documento ressalta que, em caso das informações ainda não estarem concluídas, é necessário apresentar justificativa e uma data provável para sua entrega ao Procon Estadual.

O órgão estadual de proteção do consumidor recomenda que não deixe de ser observada a legislação que prevê que, juntamente com a lista de materiais  o consumidor tenha acesso ao plano de utilização de todos os itens que constarem na entre os a serem adquiridos. Além disso, que se evite a  venda casada, ou seja, que os responsáveis não sejam induzidos a adquirir o material escolar no próprio estabelecimento ou em lojas da preferência da escola indicadas aos pais, que devem ter liberdade para compras em locais que ofereçam preços mais acessíveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui