Transplantes deste ano deram nova chance de vida a 100 pacientes no Estado

0

Do janeiro até o começo deste mês de setembro, 100 pessoa transplantadas tiveram nova chance de vida em Mato Grosso do Sul. Segundo a Central de Transplantes, 80 pacientes receberam transplante de córnea, 17 de rim e três de coração.

Neste mês é celebrado o Setembro Verde, cujo a cor simboliza a esperança.A campanha acontece desde 2014 em todo o Brasil, com objetivo de conscientizar sobre a importância de ser um doador de órgãos e tecidos e falar do impacto desse ato de amor que transforma e salva vidas.

Nova chance

Privilegiado é a definição de Celedino Vieira Fernandes, morador de Guia Lopes da Laguna, para contar a história de seus dois renascimentos. “Dia 9 de setembro fez 22 anos que recebi um transplante de coração. Antes desse surgiram outros dois compatíveis, o primeiro passei a vez para um rapaz de Itaporã que estava bem mal, o segundo não deu certo por uma questão logística”, conta ele que ficou 1 ano e meio nessa fila.

Após dez anos de coração novo, ele novamente entrou para a fila dos transplantes. “Deu tudo certo, passou 10 anos comecei a ter insuficiência renal. Fiquei em tratamento um tempo e fui para a hemodiálise, seis anos de espera, no dia 21 de setembro do ano passado recebi um rim”.

Em dezembro Celedino completa 61 anos de idade, e cada vez mais ele quer conscientizar outras pessoas sobre a doação de órgãos. “É uma das atitudes mais nobres. Apesar que o momento pode ser uma hora difícil de resolver qualquer coisa. Acho que um dos maiores atos de benevolência do ser humano é ser doador, você sabe que aquela decisão está salvando vidas. Falo pela minha experiência, fiquei seis anos esperando na hemodiálise, nesse tempo vi tantas pessoas sofrendo e esperando”, destaca.

Conversar com a família sobre o desejo de se tornar um doador de órgãos é fundamental para que essa corrente de solidariedade e amor não se quebre. “Entendemos que a maioria das negativas são porque as famílias desconhecem a vontade de doar órgãos do ente querido que morreu. Nesse sentido o Setembro Verde vem sensibilizar as pessoas para conversar sobre esse tema tão importante para quem espera”, explica a coordenadora da Central Estadual de Transplantes de MS, Claire Miozzo.

Além dos transplantes realizados, atualmente existem 339 sul-mato-grossenses na fila de espera. Desse total, 177 aguardam por um transplante de córnea, 159 por um rim, e outros 3 que esperam por um coração.

Assim como as ações de conscientização que ocorrem em todo o País, a programação do Setembro Verde no Estado será toda virtual. Além de cursos para profissionais da área da saúde que falam da importância da notificação de morte encefálica, e de diversos outdoors que serão espalhados pela Capital na semana do doador de 21 a 27 de setembro, no dia 27 a TVE transmitirá uma live conduzida por um grupo de estudantes de música da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui