Campeão de gastos, Loester Trutis usou R$ 224 mil para trabalhar em seis meses; veja os outros parlamentares

0

O Deputado Federal Loester Trutis (PSL) entra para a lista do mais gastador nos seus seis primeiros meses de mandato, no exercício das atividades parlamentares deste ano de 2021. Conforme o canal transparência do site da Câmara dos Deputados, ele já gastou R$ 224.053,88 entre janeiro e esses primeiros dias de julho. 

O dinheiro é oriundo da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar – CEAP (antiga verba indenizatória), que se trata de uma cota única mensal destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar.

O valor máximo mensal depende da unidade da federação que o deputado representa. Essa variação ocorre por causa das passagens aéreas e está relacionada ao valor do trecho entre Brasília e o Estado que o deputado representa. Para Mato Grosso do Sul, o teto estabelecido é de R$ 40.542,84 e o “TioTrutis”, como é conhecido, foi também o único a exceder esse limite nos meses de janeiro que usou R$ 49.475,35 e maio R$ 52.841,64. 

Dentre as despesas dele estão telefonia; serviços postais; manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar; combustíveis e lubrificantes, pagamentos a advogados, divulgação e passagem aérea. 

O pagamento da cota parlamentar é realizado através de um reembolso. O político gasta dentro das regras e depois entrega a nota fiscal no órgão interno definido pela Casa, sendo essa a comprovação de que o gasto está de acordo com as normas. Posteriormente, o valor é ressarcido.

Na sequência dos mais gastadores para o desempenho das funções parlamentares entra Dagoberto Nogueira (PDT) com uso de  R$ 203.567,14.

Quem menos precisou gastar para trabalhar foi o Deputado Federal Fábio Trad (PSD), que em seis meses teve R$ 16.820,54 de despesas relacionadas a manutenção de escritórios, telefonia, serviços postais, hospedagem e divulgação das atividades. 

Beto Pereira (PSDB) gastou R$ 197.780,69; Vander Loubet (PT) R$  200.063,85; Doutor Luiz Ovando (PSL) R$ 185.870,11, Rose Modesto (PSDB) R$  185.923,66 e Bia Cavassa R$ (PSDB) 129.090,92

 

Da redação / Foto: Câmara Federal

 

Deixe uma resposta