Força-tarefa indicia Name, Name Filho e mais 5 por execução de “Play boy da mansão”

Segundo investigação, a reunião pré e pós-morte de Marcel teria acontecido na casa de Zezinho.

0

Força-tarefa da Polícia Civil, sediada no GARRAS, conclui a investigação relativa a execução de Marcel Hernandes Colombo, ocorrida no dia 18 de outubro de 2018, por volta das 00h10min. Fato ocorrido em um estabelecimento comercial no centro da Capital, na Av. Fernando Correia da Costa, n° 1618.

 

Durante os trabalhos investigativos, os quais contaram com intensa troca de informações com o GAECO (MP-MS), foi apurado que a morte de Marcel decorreu de uma briga anterior, ocorrida em uma boate de Campo Grande.

 

A investigação identificou a participação de sete pessoas envolvidas, entre mandantes, intermediários e executores. São eles: Jamil Name, Jamil Name filho, Marcelo Rios, Rafael Antunes, José Moreira Freires (Zezinho), Juanil Miranda dos Santos e Everaldo Monteiro de Assis.

 

Conforme a investigação, Juanil teria efetuado os disparos de arma de fogo contra Marcel Colombo, Everaldo teria passado todo o levantamento da vítima para a organização, Jamil Filho mandou, Jamil pai avalizou, os ex-Guardas municipais Marcelo Rios e Rafael Antunes organizaram o crime. Ainda segundo investigação, a reunião pré e pós-morte de Marcel, teria acontecido na casa de Zezinho, conforme aponta os compartilhamentos de provas entre o Garras e o Gaeco.

 

 

A execução de Marcel Colombo

 

O “Playboy da Mansão” Marcel Costa Hernandes Colombo, 31 anos, foi assassinado com tiros de pistola 9 milímetros na calçada da Cachaçaria Brasil, em Campo Grande. Ele foi atingido por cinco tiros nas costas e um de raspão no rosto. A ação foi filmada pelo circuito de segurança do estabelecimento.

 

Marcel foi assassinado na madrugada desta quinta-feira (18), enquanto bebia com os amigos, na Cachaçaria Brasil, localizada na Avenida Fernando Correa da Costa, em Campo Grande.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui