Na cola da bandidagem: Senad e policiais de MS fazem ‘arrastão’ na Fronteira

0
43

Duas operações em Zanja Pytã e três em Sanja Puitã (Paraguai) foram realizadas na manhã desta quarta-feira (14) por agentes da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai e das Polícias, Civil, Militar e Federal Brasileira, em busca do homicídio ocorrido há dias em Ponta Porã -MS, onde a vítima era o policial civil Wescley Vasconcelos. No local, encontraram várias evidências que serão submetidas à perícia.

O representante do Ministério Público do Paraguai, Armando Cantero, um dos procuradores nomeados em conjunto com Martin Areco, disse que as operações no Paraguai e no lado brasileiro são a continuação do homicídio ocorrido no dia 6 de março no bairro Villa Reno de Ponta Porã onde Wescley Vasconcelos foi vítima de uma execução.

Naquele dia, o agente foi morto a poucos metros de sua casa, após coletar as impressões digitais dos 6 supostos membros do PCC, presos depois uma operação policial em Pedro Juan Caballero.

Na primeira casa pesquisada pela SENAD pertencente a Michel Antunes Pintos de nacionalidade brasileira, duas pistolas de calibre 9mm foram apreendidas e registradas. Na segunda casa pertencente ao Sr. Cesar Ortiz Zorrilla foi apreendida uma espingarda cal 12, bem como um caminhão Fortuner com o chassi adulterado.

 

Todas as provas apreendidas foram encaminhadas para a sede da SENAD, nenhuma pessoa foi detida.

 

Força-tarefa

 

As polícias Especializadas de Mato Grosso do Sul, Garras (Del. Esp. Rep. a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), Denar (Del. Especializada de Repressão ao Narcotráfico) , Derf (Del. Especializada de Roubos e Furtos) Defron (Del. de Repressão aos Crimes de Fronteira), Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), GOI (Grupo de Operações e Investigações), Polícia Federal e Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai deram início na madrugada desta quarta-feira (14) numa mega operação onde o objetivo é combater o narcotráfico de drogas/armas e capturar os responsáveis pela execução de um policial brasileiro.

 

A ação em conjunto entre forças policiais brasileiras e paraguaias aconteceu na região de Ponta Porã, Sanga Puitã (Brasil) e Sanja Pitã (Paraguai) contou grande efetivo policial e até mesmo um helicóptero do GPA – Grupo Patrulhamento Aéreo da PMMS.

 

O estopim para essa força-tarefa, se deve ao fato do assassinato de Wescley Vasconcelos, investigador da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, e também após ameaças de morte que os agentes sofreram em consequência da ação policial, que culminou com a morte de um suspeito. Informações extraoficiais afirmam que, diversas pessoas foram presas, dentre eles um policial militar da reserva, assim como grande quantidade de armas também foram apreendidas.