A primeira foi em julho de 2016, na Operação “Fazendas de Lama”, quando a 3ª Vara da Justiça Federal determinou também o bloqueio de todo o patrimônio do ex-governador, uma vez que as apurações indicaram a sua participação em atos de improbidade. Esta quarta fase foi denominada “Máquinas de Lama” em função de a polícia ter identificado o suposto desvio de recursos públicos por meio da locação fictícia de máquinas pesadas para obras públicas.

A segunda “visita” ao apartamento do ex-governador André Puccinelli (PMDB) foi na manhã de ontem (11), em cumprimento a mandado de condução coercitiva expedido pela Justiça Federal no âmbito da quarta fase da Operação Lama Asfáltica. A ação da polícia foi desencadeada para a apuração de atos de corrupção que resultaram, por meio de licitações fraudulentas, em desvios de recursos dos cofres públicos de Mato Grosso do Sul que somam mais de R$ 150 milhões.

Esta nova fase desencadeada busca o cumprimento de 44 mandados entre prisão preventiva, condução coercitiva e busca e apreensão em quatro cidades de Mato Grosso do Sul e em outros dois Estados. As investigações tiveram início em 2015 e essa é a segunda vez que a Polícia Federal cumpre mandados no apartamento do ex-governador André Puccinelli.

Deixe uma resposta