#SIGAOMANUAL! TCE CONCLUI GUIA DE CONDUTA PARA A CORTE

0

O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul conclui os manuais de auditoria de conformidade, com diretrizes que permitem avaliar melhor a gestão pública no Estado e municípios. A apresentação do “Manual de Auditoria de Conformidade” foi feita pelo diretor de gestão e modernização do TCE-MS, Douglas Avedikian ao presidente da Corte, conselheiro Waldir Neves, na tarde desta quarta-feira, 05 de julho. Logo após, foi realizada uma explanação técnica pela auditora de controle externo e supervisora, Valéria Saes Cominale Lins.

A elaboração dos manuais de auditoria do TCE-MS foi uma iniciativa do presidente da Corte de Contas, conselheiro Waldir Neves, para oferecer aos técnicos e conselheiros subsídios por meio da disseminação das modernas técnicas de auditoria de conformidade internacionalmente reconhecidas. “Esse manual que conseguimos graças aos nossos auditores que trabalharam com empenho e com responsabilidade, vem para padronizar as ações desenvolvidas pelo Tribunal de Contas, decisões que antes eram discrepantes uma da outra agora com o manual terão um entendimento único sobre determinados assuntos”.

O presidente ainda acrescentou: “Dará mais credibilidade ao Tribunal, mostrando para a sociedade que o TCE-MS é um órgão efetivamente comprometido com a busca da verdade através de procedimentos claros e objetivos. O manual padroniza a conduta, a ação e o trabalho dos auditores, dos servidores e dos conselheiros, pois assim, terão uma linha a ser seguida”.

Na apresentação, a auditora Valéria Saes, enfatizou que todo o trabalho levou um ano para ficar pronto, e foi realizado por uma equipe especial de auditores, coordenada pela Diretoria de Gestão e Modernização do TCE-MS. “Com essa padronização tanto os auditores quando ingressam na Corte de Contas através do concurso público e assim que entram na inspetoria, tem um manual a ser seguido, de como serão feitas essas auditorias, e assim, essas auditorias sendo realizadas com mais eficiência e num curto espaço de tempo trará mais segurança jurídica ao processo, uma tomada de decisões melhores pelos nossos gestores públicos, e com isso, ganha o estado e ganha a sociedade”.

Embora não sejam obrigatórias, as recomendações da INTOSAI visam contribuir com o desenvolvimento da auditoria pública brasileira. Essas recomendações estão fundamentadas em declarações internacionais e no relatório do grupo de especialistas em contabilidade e auditoria pública dos países em desenvolvimento junto às nações unidas, por isso são de fundamental importância para que o TCE-MS possa oferecer aos seus servidores critérios técnicos e normas que auxiliam e muito nos trabalhos de fiscalização.

Deixe uma resposta